Dupla-vista

--

        Segunda-vista ou Dupla-vista - Efeito da emancipação_da_alma que se manifesta no estado de vigília (acordado). Faculdade de ver as coisas ausentes como se estivessem presentes. Aqueles que dela são dotados não_vêem_pelos_olhos, mas pela alma, que percebe a imagem dos objetos por toda a parte onde ela se transporta, e como por uma espécie de miragem. Esta faculdade é permanente. Certas pessoas a possuem sem saber: ela parece-lhes um efeito natural, e produz o que denominamos visões.

http://www.espirito.org.br/portal/doutrina/vocabulario/letra-s.html

        A emancipação_da_alma se verifica às vezes no estado de vigília (acordado) e produz o fenômeno conhecido pelo nome de segunda vista ou dupla vista, que é a faculdade graças à qual quem a possui vê, ouve e sente além dos limites dos sentidos humanos. Percebe o que exista até onde estende a alma a sua ação. Vê, por assim dizer, através da vista ordinária, e como por uma espécie de miragem.

        No momento em que o fenômeno da segunda vista se produz, o estado físico do indivíduo se acha sensivelmente modificado. O olhar apresenta alguma coisa de vago. Ele olha sem ver. Toda a sua fisionomia reflete uma como exaltação. Nota-se que os órgãos visuais se conservam alheios ao fenômeno, pelo fato de a visão persistir, mau grado à oclusão dos olhos.

        Aos dotados desta faculdade ela se afigura tão natural, como a que todos temos de ver. Consideram-na um atributo de seus próprios seres, que em nada lhes parecem excepcionais. De ordinário, o esquecimento se segue a essa lucidez passageira, cuja lembrança, tornando-se cada vez mais vaga, acaba por desaparecer, como a de um sonho.

        O poder da vista dupla varia, indo desde a sensação confusa até a percepção clara e nítida das coisas presentes ou ausentes. 

  • Quando rudimentar, confere a certas pessoas o tato, a perspicácia, uma certa segurança nos atos, a que se pode dar o qualificativo de precisão de golpe de vista moral. 

  • Um pouco desenvolvida, desperta os pressentimentos

  • Mais desenvolvida mostra os acontecimentos que deram ou estão para dar-se.

[9a página 244  questão 455]

O Sonho, o sonambulismo e dupla vista, é uma só coisa. O que se chama dupla vista é ainda resultado da libertação_do_Espírito, sem que o corpo seja adormecido. A dupla vista ou segunda vista é a vista da alma.

 

[9a página 237 questão 447]

        A faculdade da segunda vista é permanente, o exercício não.  Em os mundos menos materiais do que o vosso, os Espíritos se desprendem mais facilmente e se põem em comunicação apenas pelo pensamento, sem que, todavia, fique abolida a linguagem articulada. Por isso mesmo, em tais mundos, a dupla vista é faculdade permanente, para a maioria de seus habitantes, cujo estado normal se pode comparar ao dos vossos sonâmbulos_lúcidos.  Essa também a razão por que esses Espíritos se vos manifestam com maior facilidade do que os encarnados em corpos mais grosseiros.

 

[9a página 237 questão 448]

        A segunda vista, as mais das vezes, aparece espontaneamente, porém a vontade também desempenha com grande freqüência importante papel no seu aparecimento. Toma, para exemplo, de umas dessas pessoas a quem se dá o nome de ledoras da buena-dicha, algumas das quais dispõem desta faculdade, e verás que é com o auxílio da própria vontade que se colocam no estado de terem a dupla vista e o que chamas visão.

 

[9a página 237 questão 449]

A dupla vista é suscetível de desenvolver-se pelo exercício. Do trabalho sempre resulta o progresso e a dissipação do véu que encobre as coisas. Incontestavelmente, esta faculdade tem ligação com a organização física. O organismo influi para a sua existência. Há organismos que lhe são refratários.

 

[9a página 238 questão 450]

A segunda vista parece hereditária em algumas famílias.  Mas, isto não ocorre, a faculdade pode ser por semelhança da organização, que se transmite como as outras qualidades físicas. Depois, a faculdade se desenvolve por uma espécie de educação, que também se transmite de um a outro.

 

[9a página 238 questão 451]

  • A moléstia

  • a proximidade do perigo, 

  • uma grande comoção podem desenvolver a segunda vista

        O corpo, às vezes, vem a achar-se num estado especial que faculta ao Espírito ver o que não podeis ver com os olhos carnais.

        Nas épocas de crises e de calamidades, as grandes emoções, todas as causas, enfim, de superexcitação do moral provocam não raro o desenvolvimento da dupla vista. Parece que a Providência, quando um perigo nos ameaça, nos dá o meio de conjurá-lo. Todas as seitas e partidos perseguidos oferecem múltiplos exemplos desse fato.

 

[9a página 238 questão 452]

As pessoas dotadas de dupla vista nem sempre têm consciência de que a possuem. Consideram isso coisa perfeitamente natural e muitos crêem que, se cada um observasse o que se passa consigo, todos verificariam que são como eles.

 

[9a página 238 questão 453]

LINKs

 

http://www.freewebs.com/estudosespiritas/duplavista.htm#

 

Ver também:

 

Crianças e Adolescentes

DESAPARECIDOS