Aminoácidos
Página acima: Células

--

--

        Aminoácidos são ácidos orgânicos que encerram em sua molécula um ou mais grupamentos Amina. 
        Existem vários tipos de aminoácidos, sendo os mais importantes os alfa-aminoácidos.

        Fórmula geral de um alfa-aminoácido:

  

        Qualquer molécula de aminoácido tem um grupo carboxila (COOH) e um grupo amina ligados a um átomo de carbono. Nesses mesmo carbono ficam ligados ainda um átomo de hidrogênio e um radical (R). 
        O radical (R) representa um radical orgânico, diferente em cada molécula de aminoácido encontrado na matéria viva. 
        Os aminoácidos possuem caráter anfótero, ou seja, quando em solução podem funcionar como ácidos ou como bases. 

http://www.universitario.com.br/celo/topicos/subtopicos/citologia/bioquimica/aminoacidos.html 

        Os aminoácidos são as estruturas fundamentais das proteínas. Cada aminoácido consiste de um grupo amino (-NH2) básico (alcalino), um grupo carboxí1lico (-COOH) ácido e uma cadeia lateral (grupo R) que é diferente para cada um dos 20 diferentes aminoácidos.

        Cada variação no número ou na seqüência de aminoácidos produz uma proteína diferente, uma grande variedade de proteínas é possível. A situação é semelhante à utilização de um alfabeto de 20 letras para formar palavras. Cada letra seria equivalente a um aminoácido, e cada palavra seria uma proteína diferente.


 http://www.corpohumano.hpg.ig.com.br/generalidades/quimica/quimica_10.html

Os aminoácidos:

  • Além de construir células e concertar os tecidos, 

  • formam anticorpos para combater as bactérias e vírus

  • fazem parte da enzima e do sistema hormonal

  • constroem nucleoproteínas (RNA e DNA); 

  • transportam oxigênio por todo corpo e participa nas atividades dos músculos. 

http://www.astro.up.pt/nd/astro_news/2002/0602pt.html

 

        é sabido há muito tempo que vida_na_Terra favorece aminoácidos canhotos. Os Drs. John_Cronin e Sandra Pizzarello da Arizona State University mostraram recentemente que há um leve excesso de alguns aminoácidos canhotos em meteoritos ricos em carbono. O fato de que vários aminoácidos diferentes de mais de um meteorito partilham esta propriedade com a vida na Terra sugere que a característica canhota dos aminoácidos em nossos corpos pode ter sido determinada por contribuição extraterrestre. 
        Mas por que canhoto? é bem conhecido que certos tipos de energia podem ter quiralidade, da mesma maneira que moléculas -- por exemplo, fótons e partículas de alta energia (mas não o calor). Há várias teorias que envolvem a ação de algum tipo de força ou radiação com quiralidade selecionando aminoácidos canhotos. (Ver: Eletricidade globular)


Na poeira cósmica, síntese da vida, temos as atrações magnéticas profundas;


[41a - página 184] - Emmanuel - 1940

        Por exemplo, foi sugerido que aminoácidos canhotos devessem ser ligeiramente mais estáveis porque a força (subatômica) fraca não age igualmente sobre moléculas destras e canhotas. Porém, este efeito parece muito pequeno para explicar o que Cronin e Pizzarello observaram. 
        Foi mostrado que se pode destruir moléculas de uma quiralidade em particular ligeiramente mais depressa que a outra usando radiação polarizada circularmente (cpr). Assim, foi sugerido que talvez a cpr no meio interestelar criou a predisposição para moléculas canhotas destruindo preferencialmente as destras. O problema aqui é que este processo parece ser muito ineficiente, assim uma pessoa precisaria ter começado com uma quantidade absurdamente grande de aminoácidos flutuando no espaço para terminar com o que nós vemos hoje. 
        Recentemente, em uma variação desta ideia, alguns de nós temos considerado se os aminoácidos poderiam ter sido criados por algum tipo de cpr de tal forma que a predisposição para a esquerda já estaria lá desde o começo. Ainda, este processo teria que ser mais eficiente que a destruição para selecionar uma mão em particular, e ainda não foi mostrado que é possível formar moléculas seletivamente de uma mão particular usando cpr, ainda menos se este processo é eficiente o bastante para explicar o que foi relatado pelos Drs. Cronin e Pizzarello. Meu colega, Dr._Scott_Sandford, e eu esperamos testar esta hipótese nos próximos anos. 
        Mas até mesmo se nós tivermos razão e a cpr for a causa da quiralidade, como se obtém cpr no espaço? Cpr pode ser o resultado de uma fonte giratória, como uma estrela_de_nêutrons girando, que produz radiação de uma quiralidade particular abaixo, e da quiralidade oposta acima. 

  • Se tal estrela fosse orientada corretamente à nuvem molecular densa da qual nosso sistema solar se formou, então aminoácidos canhotos teriam sido favorecidos aqui; 

  • se a nuvem estivesse no outro lado da estrela, então aminoácidos destros teriam sido favorecidos. 

        Uma conseqüência interessante deste cenário é que aminoácidos canhotos não só seriam favorecidos em nosso sistema solar, mas também em qualquer outro sistema se formando desta nuvem. Porém, sistemas planetários que se formaram em outro lugar, de outras nuvens, poderiam favorecer aminoácidos destros. Em tal planeta a comida poderia muito bem parecer comestível, e análise química indicaria que seria feita de aminoácidos digeríveis, mas poderia ser veneno a um terráqueo. 
        Na ausência de radiação polarizada circularmente, as moléculas iniciais poderiam não mostrar nenhuma tendência para qualquer quiralidade. É interessante especular sobre como a vida poderia surgir em tal sistema planetário. Talvez as primeiras moléculas reprodutoras conteriam aminoácidos de um tipo ou outro, e toda a vida seguiria desse caso. Mas e se surgisse de forma que permitisse que aminoácidos de ambos os tipos fossem úteis? Presumivelmente uma quiralidade ganharia da outra em qualquer linhagem determinada porque o custo de manter dois conjuntos diferentes de maquinaria química para lidar com ambos os tipos seria proibitivo. Mas pode-se imaginar casos em que organismos diferentes que usem aminoácidos de quiralidade diferente desfrutariam vantagens mútuas através de simbiose. Se plantas ou organismos de colônia crescessem em camadas, uma composta de aminoácidos canhotos e o outra de destros, então qualquer predador que viesse comê-las só consumiria uma camada antes de ter que parar já que a outra quiralidade, em nossa experiência pelo menos, pode ter efeitos nocivos. 
        Esta especulação sobre imagem espelho biota é conjetura selvagem, é claro, mas é interessante contemplar as conseqüências de compostos do espaço. A trajetória do início da evolução, se não a origem da vida, pode ter sido dependente da formação de moléculas em grãos de gelo no espaço exterior bilhões de anos atrás. Dado que os processos que fazem e entregam estes compostos são universais, isto pode aumentar as chances de que, se houver vida em outro lugar no universo, ela se pareça conosco -- em um nível molecular.


http://www.ceticismoaberto.com/ciencia/etorigem.htm

        Aproximadamente 500 tipos de aminoácidos foram descobertos na natureza. No entanto, somente 20 (Tabela) atuam como constituintes das proteínas do nosso organismo. Combinações complexas destes 20 tipos resultam em mais de 100 mil tipos de proteínas.

        Quando ingerimos alimentos como peixes e cereais, as proteínas neles contidos são primeiro degradadas em 20 tipos de aminoácidos, e então reconstruídas em outras proteínas no interior do nosso organismo.


http://www.ajinomoto.com.br/enciclopedia/more.html
 

Como os aminoácidos agem no corpo

Uma vez penetrados na corrente sanguínea, os aminoácidos são rapidamente transportados através do corpo. Um pequeno número deles é utilizado imediatamente, dependendo das necessidades dos vários tecidos nessa ocasião. Num intervalo de tempo equivalente a 10 minutos, todos os aminoácidos são usados na síntese de proteína ou são armazenados.

        O excesso de aminoácidos é utilizado como parte de energia ou estocado na forma de gordura branca. Os aminoácidos são estocados principalmente no fígado, mucosa intestinal, sangue ou no interior das células na forma de proteínas intracelulares.

        Imediatamente após os aminoácidos terem penetrado na corrente sanguínea, suas concentrações se elevam discretamente, devido à rapidez com que são utilizados ou estocados. Durante o período de um dia, os aminoácidos são sistematicamente reconvocados e transportados pelo sangue até os locais onde são requisitados.

        Vários gramas de proteínas são transportados a cada hora na forma de aminoácidos circulantes. O crescimento muscular depende da eficiência com que os aminoácidos atingem os tecidos que necessitam deles.


http://www1.uol.com.br/cyberdiet/colunas/030815_nut_x_proteinas3.htm

  • Na virada para o século XX, o interesse pelas proteínas continuava a crescer. Os químicos passaram a analisar minuciosamente essas substâncias, descobrindo que sua degradação liberava aminoácidos

  • Por volta de 1900 já haviam sido identificados 12 aminoácidos diferentes liberados pela degradação de proteínas. Face a essa evidência, o químico alemão Franz Hofmeister (1850-1922) sugeriu, em 1902, que as proteínas seriam formadas por aminoácidos encadeados.

  • Em 1906 já haviam sido identificados 15 tipos de aminoácido liberados pela degradação de proteínas; em 1935 esse número subiu para 18 e, em 1940, chegou a 20, completando a lista dos aminoácidos que ocorrem naturalmente nas proteínas dos seres vivos.

J. M. Amabis* e G. R. Martho

http://www.moderna.com.br/didaticos/em/biologia/temasbio/atualidades/TB06.pdf

LINKs:

Ver também:

 

Crianças e Adolescentes

DESAPARECIDOS