Velho Testamento

Página acima

No quadro de valores da educação religiosa, na civilização cristã, o Velho Testamento, apesar de suas expressões altamente simbólicas, poucas vezes acessíveis ao raciocínio comum, deve ser considerado como a pedra angular, ou como a fonte-máter da revelação divina.

 

[41a - página 160] - Emmanuel - 1940

        De suposta autoria do profeta Moisés, o Velho Testamento inicia com os cinco livros conhecidos como Pentateuco Mosaico. O aparecimento dessas obras é assinalado em torno de 1550 a 1300 a.C. , sendo que a história do povo hebreu com o patriarca Abraão, a que se refere a obra, data de 1700 a.C..

        Alguns textos abordam o decálogo, ou dez mandamentos, orientações morais que constituem o aspecto divino de sua revelação, perfeitamente válidas até o dia de hoje.

 

        Os cinco livros atribuídos a Moisés são:

  • Gênesis: Trata da origem da Criação, do mundo terreno e do homem. Através de uma narrativa simbólica, o autor narra simbolicamente as fases do surgimento do universo, da Terra e dos seres.

  • Êxodo: Descreve os principais episódios da libertação do povo hebreu, após a escravidão de quatrocentos anos no Egito.

  • Levítico: Contém as instruções destinadas à orientação dos cultos entre os seguidores de Moisés e Deus.

  • Números: Relata parte da história da peregrinação dos hebreus no deserto em direção a Canaã, a terra prometida e traz informações sobre um censo realizado apurando as pessoas que fizeram a viagem depois da fuga do Egito. 

  • Deuteronômio: É um código de leis promulgadas por Moisés com a finalidade de reorganizar a vida social do povo. Neste livro, entre inúmeras outras leis incompatíveis com os povos de hoje, encontramos a proibição referente ao contato com os "mortos". Tal prática era comum entre os egípcios, realizadas de forma desrespeitosa e fútil. O legislador achou por bem proibir essas atividades. Mais tarde, porém, o próprio Moisés, autor dessa proibição, na condição de "morto", aparece e conversa com Jesus, no episódio da transfiguração, sobre o monte Tabor.

Consciência espírita: www.consciesp.org.br

        Os livros de que falais foram escritos para conservar antigas narrações, que se arriscavam a perder-se; supriu-se de memória o que faltava, fazendo-se pesquisas na tradição.

  • Os anais originais dos dias anteriores a Moisés não existiam;
  • a narração do Gênesis é em parte legendária, em parte imaginária (querendo suprir os livros perdidos, recorreram à memória e à legenda),
  • o resto de acordo com alguns manuscritos.

        Os episódios da vida do mestre egípcio José são transcritos de acordo com manuscritos. Em nenhum caso os livros tais como os ledes são a obra daquele a quem os atribuem, pois foram compilados por Esdras e os seus escribas e só dão corpo às concepções e legendas dessa época já longínqua.
        No que se refere à lei_mosaica é mais exato, porque os fragmentos que continham o código foram por muito tempo conservados. Só nos ocupamos daquilo para abreviar argumentos que se queriam tirar desses textos, aliás inexatos, mesmo falsos em parte, salvo no que se refere a um fragmento do documento mosaico.

[108 - página 201] - Médium: William Stainton Moses - (1839 - 1892)        O Pentateuco, já vo-lo dissemos,...

  • compõe-se de lendas, de tradições transmitidas oralmente de gerações em gerações; Esdras as recolheu para evitar a sua perda.
  • Os capítulos mais antigos são simples fantasias legendárias, cotejadas e reguladas pelos escribas.
  • As lendas de Noé e de Abraão, por exemplo, que existem também nos livros sagrados de outros povos, e as narrações do Deuteronômio, são igualmente adições diretas feitas no tempo do próprio Esdras.
  • Quanto ao restante, a compilação foi tirada de imperfeitas coleções, que datavam dos dias de Salomão e de Josiá, que por sua vez narravam antigas lendas cuja origem se perdia na noite dos tempos.
  • Em caso algum a compilação de Esdras contém as próprias palavras de Moisés nem a expressão da verdade, salvo quando ele trata da lei que estava apoiada sobre documentos autênticos.

       William Stainton Moses- Isso confirma as minhas próprias pesquisas. Terei fundamento em seguir as duas fontes Eloísta e Jeovista, donde a compilação tirava as suas informações como no conto da Criação, Gênesis, I, II, 3, comparada com II, 4, III, 24, e no arrebatamento de Sara a Gérar por Abimelec, Gênesis, cap. XX, comparada com XII, 10, 19, XXVI, I, II?

        Os documentos em questão foram a fonte lendária onde hauriram os escribas de Esdras: Elnatan e Joiarib; eram muito numerosos, compilados alguns nos dias de Saul e mesmo anteriormente, sendo outros nos dias de Salomão, Ezequiel e Josiá, e representam cristalizações de legendas flutuantes transmitidas oralmente. Mostramos-vos o verdadeiro traçado de inspiração a partir de Melquisedec. Tudo o que é anterior é indigno de crença.

        William Stainton Moses - Se os cânones do Antigo Testamento foram assim estabelecidos, sucede o mesmo quanto aos profetas?

        Todos os livros dos profetas foram ampliados e combinados segundo as fontes subsistentes, por Esdras. Hagai e Malaquias completaram o Antigo Testamento pela adição dos últimos livros, chamados...

  • Aga,
  • Zacarias
  • e Malaquias.

        Esses homens estavam em franca comunhão com o mundo espiritual, tendo sido, com Zacarias, os assistentes privilegiados de Daniel, quando ele teve a sua grande visão. Certamente, Daniel, o Vidente, foi altamente favorecido e inspirado. Seja o grande Deus retribuído por sua misericórdia e pela manifestação do seu poder!

[108 - páginas 207 / 208] - Diálogo entre o médium William Stainton Moses - (1839 - 1892) e o Espírito Imperator.

LINKs:

 

Ver também:

Crianças e Adolescentes

DESAPARECIDOS