--

Deus.    Inteligência suprema, causa primária de todas as coisas.

[ 9a - página 51]

Deus é o Pai magnânimo e justo. 

Um pai não distribui padecimento. 

Dá corrigendas e toda corrigenda aperfeiçoa.

Emmanuel - (Caminho, Verdade e Vida) - [55 - página 73]


Deus.Maravilhosa e infinita inteligência [0]

Profissão de fé espírita raciocinada
§ I. DEUS

  • 1. Há um Deus, inteligência suprema, causa primeira de todas as coisas.

    A prova da existência de Deus está no axioma: Não há efeito sem causa.

    Vemos incessantemente uma multidão inumerável de efeitos, cuja causa não está na Humanidade, uma vez que a Humanidade está impossibilitada de reproduzi-los, e mesmo de explicá-los: a causa está, pois, acima da Humanidade. É a essa causa que se chama Deus, Jeová, Alá, Brama, Fo-hé, Grande Espírito, etc., segundo as línguas, os tempos e os lugares.


    Esses efeitos, de nenhum modo, não se produzem ao acaso, fortuitamente e sem ordem; desde a organização do menor inseto, e do menor grão, até à lei que rege os mundos circulando no espaço, tudo atesta um pensamento, uma combinação, uma previdência, uma solicitude que ultrapassam todas as concepções humanas. Essa causa é, pois, soberanamente inteligente.


  • 2. Deus é eterno, imutável, imaterial, único, onipotente, soberanamente justo e bom.

    • Deus é eterno, se tivesse tido um começo, alguma coisa teria existido antes dele; teria saído do nada, ou bem teria sido criado, ele mesmo, por um ser anterior. Assim é que, de passo a passo, remontamos ao infinito na eternidade.

    • Deus é imutável; se estivesse sujeito a mudanças, as leis que regem o Universo não teriam nenhuma estabilidade.

    • É imaterial, quer dizer que a sua natureza difere de tudo o que chamamos matéria, de outro modo estaria sujeito às flutuações e às transformações da matéria, e não seria imutável.

    • É único, se houvesse vários deuses, teria várias vontades; e desde então não teria uma unidade de vistas, nem unidade de poder na ordenação do Universo.

    • É onipotente, porque é único. Se não tivesse o soberano poder, haveria alguma coisa mais poderosa do que ele; não teria feito todas as coisas, e as que não tivesse feito, seriam a obra de um outro Deus.

    • É soberanamente justo e bom. A sabedoria providencial das leis_divinas se revela nas menores coisas, como nas maiores, e essa sabedoria não permite duvidar nem da sua justiça, nem da sua bondade.

  • 3. Deus é infinito em todas as suas perfeições.

    Supondo-se imperfeito um só dos atributos de Deus, se se diminui a menor parcela da eternidade, da imutabilidade, da imaterialidade, da unidade, da onipotência da justiça e da bondade de Deus, pode-se supor um outro ser possuindo o que lhe faltaria, e esse ser, mais perfeito do que ele, seria Deus.

[15 - Primeira Parte - pág. 27] - Allan Kardec

Provas da EXISTÊNCIA de Deus - Argumentos filosóficos a favor da existência de Deus

Parte 01: https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=_ekwuMVp-q4
Parte 02: https://www.youtube.com/watch?v=vFbCO7ppoZc

 
Cientista encontra prova definitiva de que Deus existe

        O físico teórico Michio Kaku afirma ter criado uma teoria que pode apontar a existência de Deus. A informação criou alvoroço no meio científico, pois Michio Kaku é considerado um dos cientistas mais importantes da atualidade, um dos criadores desenvolvedores da revolucionária Teoria_das_Cordas, e é extremamente respeitado em todo o mundo.
        Para chegar às suas conclusões, o físico fez uso de um “semi-raio primitivo de táquions” (que são partículas teóricas, capazes de “desgrudar” do Universo a matéria ou vácuo que entrar em contato com ela, assim, deixando qualquer coisa livre das influências do universo à sua volta), tecnologia criada recentemente, em 2005. Embora a tecnologia para chegar às verdadeiras partículas de táquions ainda esteja muito longe de ser alcançada, o semi-raio tem algumas poucas propriedades dessas partículas teóricas, que são capazes de criar o efeito dos verdadeiros táquions, em escala subatômica.
       Segundo Michio, nós vivemos em uma “Matrix”:

  • ”Cheguei à conclusão que estamos em um mundo feito por regras criadas por uma inteligência, não muito diferente do seu jogo preferido de computador, claro, impensavelmente mais complexa. Analisando o comportamento da matéria em escala subatômica, a parte afetada pelo semi-raio primitivo de táquions, um minúsculo ponto do espaço, pela primeira vez na história, totalmente livre de qualquer influência do universo, matéria, força ou lei, percebi de maneira inédita o caos absoluto.
    • Acredite, tudo que nós chamávamos de casualidade até hoje, não fará mais sentido. Para mim está claro que estamos em um plano regido por regras criadas, e não moldadas pelo acaso universal”, comentou o cientista.

http://jornalvdd.com/cientista-encontra-prova-definitiva-de-que-deus-existe/
http://universouniversal.wordpress.com/2011/06/08/semi-raio-primitivo-de-taquions-aponta-para-existencia-de-deus/
http://fisica2100.forumeiros.com/t1022-famoso-cientista-michio-kaku-afirma-que-deus-existe
http://noticias.gospelmais.com.br/cientista-encontrado-evidencias-existencia-deus-63005.html
http://www.estimulanet.com/2013/11/cientista-prova-que-deus-existe.html#axzz2mNN50or6
http://www.jovemx.com/noticias/visualiza.php?id=5511
http://www.cearaemrede.com.br/2013/12/cientista-encontra-prova-definitiva-de.html

...

(Ver: Energia escura)

"Eu Sou", eis o primeiro nome de Deus em hebraico, Anoki ehieh, ou o simples "Anoki".

No original, Anoki haderech vehalaka ve'emet vechay ou "Eu Sou é caminho e rota, verdade e palavra, vida e existir " [ch = som de rr].

O texto acima foi retirado do site:

       Desde os pródromos da Civilização a ideia da imortalidade é congênita no homem. Todas as concepções religiosas da mais remota antigüidade, se bem que embrionárias e grosseiras em suas exteriorizações, no-la atestam. Entre as raças bárbaras abundaram as ideias terroristas de um Deus, cuja cólera destruidora se abrandaria à custa dos sacrifícios humanos e dos holocaustos de sangue, e, por toda parte, onde os homens primitivos deixaram os vestígios de sua passagem, vê-se o sinal de uma divindade a cuja providência e sabedoria as criaturas entregavam confiadamente os seus destinos.

 

[71 - página 86]  - Emmanuel - 1938

Deus

Ó Deus! que sois o Eterno Pensamento,

A Vontade Suprema, o Movimento,

Por excelência – a Ação!

Que sois a Fonte donde jorra a Vida,

Que sois o Ignoto Ponto de Partida

De toda a Criação!

        Deus! Pai Augusto e Bom dos Universos!

        Aceitai minha prece nestes versos,

        A minha adoração!

        Que a pobre lira se estremece e humilha,

        Quando a minha’alma, ó Pai! – a vossa filha,

        Entoa esta canção!

Desde a ameba perdida pelos mares,

Desde o inseto que plaina pelos ares,

Velais por mim, Senhor!

E pelo tempo em fora vos buscando,

Hei-de ir chorando e rindo e me arrastando,

Empós do Vosso Amor!

        Vossa grandeza imensa não me esmaga!

        Vossa destra potente e amiga afaga

        O vosso filho, ó Deus!

        E eu me estremeço e canto delirante,

        Quando vos fito a sós, por um instante,

        Do val dos prantos meus!

O’ Deus! O’ Pai! O’ Vida! O’ Amor Eterno!

Sede bendito, pois! Eu me prosterno

Perante Vós – ó Luz!

Dai-me coragem, Pai, para buscar-Vos!

Dai-me forças e fé para encontrar-Vos

Nos passos de Jesus!

 

Fonte: SANT’ ANNA, Hernani T. Canções do Alvorecer. 3. ed., Rio de Janeiro: FEB, 1994, p. 9-10.

Revista REFORMADOR - julho 2001

        Os seguidores_de_Valentino partilhavam uma visão religiosa da natureza de Deus que consideravam incompatível com a direção emergente na Igreja_católica e por isso resistiram a ela. As convicções religiosas de Irineu, ao contrário, coincidiam com a estrutura da igreja que defendia.

        Esse não é um caso único:

  • podemos ver em toda a história do cristianismo como as varias crenças sobre a natureza de Deus continham inevitáveis e diferentes implicações políticas. 

  • Martinho_Lutero, há mais de 1.300 anos, sentiu-se compelido por sua própria experiência religiosa e compreensão transformada de Deus a desafiar as práticas endossadas por seus superiores na Igreja católica e, por fim, rejeitou todo o sistema papal e clerical. 

  • George Fox, o visionário radical fundador do movimento quacre, ficou tocado por seu encontro com a “luz interior" para denunciar toda a estrutura da autoridade puritana legal, governamental e religiosa. 

  • Paul Tillich proclamou a doutrina de “Deus além de Deus” ao criticar tanto a Igreja católica quanto a protestante, e seus governos nacionalistas e fascistas.

[84 - página 51]  

Segue com Deus

Não temas o caminho
Onde o bem permanece "Deus está"
Trabalhe e serve sempre,
Deus te inspira e resguarda.
Não receies perigos, Deus te garante a paz.
Sangram-te os pés na marcha
Deus te trará descanso.
Companheiros se foram,
Deus jamais te abandona
Por nada te amedrontes
Segue e confia em Deus.



Emmanuel

Médium: Francisco Cândido Xavier

http://www.luizbertini.net/mensagem1.html#a 

Deus

 

Deus deve ser sentido em nossas almas libertas da maldade humana.

 

Deus deve ser auscultado em nossos corações livres de sentimentos mesquinhos.

 

Deus deve ser compreendido pela nossa razão esclarecida.

 

Em qualquer lugar e a qualquer hora, Deus deve estar presente a fim de que sejamos mais fraternos, mais amigos, menos egoístas, em condições, pois de vencer galhardamente o sofrimento quando ele se apresente.

 

Deus é muralha intransponível aos ataques traiçoeiros do ateísmo. É força permanente mantendo o equilíbrio do Universo.

 

Deus é sorriso puro de criança; é juiz sereno, imparcial, justo, complacente e misericordioso.

 

Deus é fonte cristalina, é luz irradiante.

 

Deus é vida, trabalho, amor.

 

Lembremo-nos de Deus a cada momento que passa, para que possamos seguir o roteiro traçado pelo Divino Mestre.

 

Quando fatigado, seja Deus teu descanso.

 

Quando aflito, seja Deus teu consolo.

 

Quando em desalento, seja Deus tua .

 

Quando supostamente derrotado, seja Deus teu arrimo.

 

Sejamos nós, a semelhança do Pai:

 

Descanso para o fatigado.

 

Consolo para o aflito.

 

Fé para o amargurado.

 

Arrimo para o supostamente derrotado.

 

A fim de que nossa caminhada seja cintilante e precursora de melhores dias.


colaboração de: Alexandre Macedo

meil-to:xandemarg@yahoo.com

 

A concepção de Deus no Velho Testamento:  http://www.espirito.org.br/portal/artigos/geae/a-concepcao-de-deus.html

REENCONTRO COM DEUS”

Deus, passei tanto tempo te procurando, não sabia onde estavas.

Olhava para o infinito, não te via....e pensava comigo mesmo: “Será que tu existes”?

Não me contentava na busca e prosseguia...

Tentava te encontrar nas religiões, nos templos. Tu lá não estavas.

Te busquei com a ajuda de gurus, sacerdotes, pastores e doutores. Também não te encontrei.

Senti-me só, vazio, desesperado e descrente.

Na descrença te ofendi, e na ofensa tropecei. No tropeço caí e na queda senti-me fraco. Fraco, procurei ajuda e na ajuda encontrei amigos. Nos amigos encontrei carinho e no carinho vi nascer o amor. Com amor, vi um mundo novo e no mundo novo resolvi viver.

O que recebi resolvi doar, e doando alguma coisa, muito recebi. E recebendo, senti-me feliz. E sendo feliz encontrei a paz.

Tendo paz foi que enxerguei...que dentro de mim é que tu estavas e sem procurar-te foi que te encontrei...!”

[102 - páginas 22] - Adélio Neves

DIANTE DE DEUS

"Pai nosso..." - Jesus. MATEUS, 6:9

        Para Jesus, a existência de Deus não oferece motivo para contendas e altercações.
        Não indaga em torno da natureza do Eterno.
        Não pergunta onde mora.
        NEle não vê a causa obscura e impessoal do Universo.
        Chama-Lhe simplesmente "nosso Pai".
        Nos instantes de trabalho e de prece, de alegria e de sofrimento, dirige-se ao Supremo Senhor, na posição de filho amoroso e confiante.
        O Mestre padroniza para nós a atitude que nos cabe, perante Deus.

  • Nem pesquisa indébita.
  • Nem inquirição precipitada.
  • Nem exigência descabida.
  • Nem definição desrespeitosa.

        Quando orares, procura a câmara secreta da consciência e confia-te a Deus, como nosso Pai Celestial.
        Sê sincero e fiel.
        Na condição de filhos necessitados, a Ele nos rendamos lealmente.
        Não perguntes se Deus é um foco gerador de mundos ou se é uma força irradiando vidas.
        Não possuímos ainda a inteligência suscetível de refletir-Lhe a grandeza, mas trazemos o coração capaz de sentir-Lhe o amor.
        Procuremos, assim, nosso Pai, acima de tudo, e Deus, nosso Pai, nos escutará.

[85 - lição 164 - página 367] - Emmanuel

        O conhecimento da Divindade e o roteiro celeste serão encontrados dentro de nós mesmos.

  • Por que audácia inominável cometeríamos o absurdo de aguardar plena e pronta identificação da nossa natureza egressa da irracionalidade, em dias tão curtos, com a sublime plenitude de Deus?
  • como ombrear-se o batráquio com o Sol?

        Em verdade, as religiões antropomórficas da Crosta envenenaram-nos a mente, instilando falsas concepções de Deus em nossos raciocínios. Não podemos, todavia, culpá-las em sentido absoluto, porquanto a estagnação espiritual caracterizava-nos a todos. Quando os discípulos se integrarem efetivamente, de cérebro e coração renovado, no Evangelho do Mestre, será impossível a negativa interferência sacerdotal. O dogma, considerado imparcialmente, constitui desafio e castigo simultâneos. Desafio à inteligência investigadora e construtiva, para que se dilate no mundo a noção do Universo_Infinito, e castigo às mentes ociosas que renunciam levianamente ao dom de pensar e decidir por si mesmas as questões sagradas do destino. Em toda parte encontraremos a Sabedoria Operante e Invisível do Senhor, estendendo-se em todas as minúcias da Natureza. Calai, portanto, a vaidade ferida e o orgulho humilhado que vos ditam observações ingratas e criminosas! Detende-vos no santuário da consciência e não exigireis visões e revelações que não conseguiríeis suportar. Tomados, pois, de compaixão pela vossa rebeldia e infortúnio, rogamos ao Senhor abençoe a esperança de quantos nos ouvem, famintos de suprema redenção, como nós, diante da grandeza inapreciável da vida eterna!

[40 - página 126] - André Luiz

        O Pai visita os filhos necessitados, através dos filhos que procuram compreendê-Lo.

  • Não poderíamos abusar do Senhor, como abusamos no círculo terrestre dos nossos pais humanos.
  • Não vive Ele ao sabor de nossos caprichos pessoais.
  • Nunca poderia vir, em pessoa, enxugar o pranto do necessitado que chora, em conseqüência, aliás, do olvido das Divinas Leis.
  • Compete ao necessitado caminhar ao reencontro dele.

        O Senhor, todavia, atende sempre a todos os homens de boa vontade, por intermédio dos homens bons, que se edificam na casa divina. Todos os nossos desejos e impulsos razoáveis são atendidos pelas bênçãos paternais do Eterno. Ainda que nos demoremos nas lágrimas e nas aflições, jamais permanecemos ao desamparo. Apenas devemos salientar que as respostas de Deus vão sendo maiores e mais diretas, à medida que se intensifique o nosso merecimento, competindo-nos reconhecer que, para semelhantes respostas, são utilizados todos quantos trazem consigo a luz da bondade, ou já possuem mérito e confiança para auxiliar em nome de Deus.

[103 - página 136] - André Luiz

        Deus, o Mestre Supremo do Universo, que domina tudo em sua calma eterna, diretor e juiz da totalidade da criação. Em solene adoração nos prostramos diante de sua majestade. Não o vimos e não esperamos aproximar-nos de sua presença. Milhões de séculos, para empregar o vosso modo de contar, seguidos de miríades e miríades de séculos, devem decorrer antes que a alma, aperfeiçoada pelo sofrimento e experiência, possa penetrar no santuário interior, na presença de Deus Todo-Poderoso, santo e perfeito. Não o vimos, mas, pelo nosso conhecimento mais íntimo das suas obras, conhecemos melhor a perfeição sem limites da sua natureza. Sentimo-la sob mil formas que não atingem jamais o vosso_muito_baixo_planeta; achamos o vestígio dela em mil circunstâncias que nem mesmo suspeitais. E enquanto vós, pobres ignorantes, dogmatizais sobre os atributos essenciais de Deus e modelais um ser à vossa imagem, nós outros nos contentamos em sentir e saber que o seu poder é a operação de uma Inteligência sábia, toda amor e penetração em tudo; sabemos que as suas relações conosco são cheias de amor e ternura.

[108 - página 175] - Médium: William Stainton Moses - (1839 - 1892)

  • O Deus de Abraão, Isaac e Jacó era superior na opinião daqueles que lhe prestavam um culto, mas somente superior aos deuses dos seus vizinhos.
  • O pai de Abraão, como sabeis, adorava deuses estranhos, isto é, outros que não os de seu filho.
  • Cada família tinha a sua própria divindade pela qual os seus membros juravam e se aliavam.
  • O nome dado ao Supremo Jeová, Eloim vo-lo demonstra.
  • Labão perseguiu e ameaçou Jacó, que lhe tinha roubado os seus deuses, e o mesmo patriarca, em uma certa circunstância, reúne as imagens dos deuses de sua família e as oculta sob um carvalho.
  • Jeová era como constantemente chamavam ao Deus de Abraão, Isaac e Jacó, divindade de família e não o Deus Uno.
  • O grande legislador mesmo, em sua concepção elevada acerca do Supremo, não fica inteiramente isento da noção de um Deus superior.
  • Na Bíblia, Deus é revelado sob muitas formas, umas nobres, como nos livros de e de Daniel, as outras miseravelmente baixas, como nos livros históricos.

        Mas quando cada um dos espíritos mestres acharam uma alma, à qual puderam transmitir ideias luminosas, fizeram-no de século a século, pois quase todas as vossas gerações possuíram alguns espíritos adiantados.

[108 - páginas 209 / 210] - Médium: William Stainton Moses - (1839 - 1892)


http://www.youtube.com/watch?v=VqgcrJs5cPE&feature=player_embedded


https://mail.google.com/mail/u/0/?shva=1#inbox/13288ffc5add5cd5

Ver também:

 

Crianças e Adolescentes

DESAPARECIDOS