Página acima: Desobsessão
Como expulsar os espíritos obsessores - Exorcismo

--

As fórmulas de exorcismo não têm qualquer eficácia sobre os maus Espíritos.  Estes últimos riem e se obstinam, quando vêem alguém tomar isso a sério.

[9a - página 251 questão 477]

        Há meios de expulsar os maus Espíritos, porém, as mais das vezes o que fazem, para isso, os atrai, em vez de os afastar. O melhor meio de expulsá-los consiste em atrair os bons.  Atraí, pois, os bons Espíritos, praticando todo o bem que puderdes, e os maus desaparecerão, visto que o bem_e_o_mal são incompatíveis. Sede sempre bons e somente bons Espíritos tereis junto de vós.

        Há, no entanto, pessoas muito bondosas que vivem às voltas com as tropelias dos maus Espíritos.  Se essas pessoas são realmente boas, isso acontece talvez como prova, para lhes exercitar a paciência e concitá-las a se tornarem ainda melhores. Fica certo, porém, de que não são os que continuamente falam das virtudes os que mais as possuem.  Aquele que é possuidor de qualidades reais quase sempre o ignora, ou delas nunca fala.

 

[17b - página 178 item 132]

        Quanto ao exorcismos, para expelir dos lugares mal-assombrados os maus Espíritos, já tiveste ocasião de verificar a eficácia desse processo?  Não tens visto, ao contrário, as tropelias redobrarem de intensidade, depois das cerimônias do exorcismo?  É que os Espíritos que as causam se divertem com o serem tomados pelo diabo.

        Também, os que se não apresentam com intenções malévolas podem manifestar sua presença por meio de arruídos e até tornando-se visíveis, mas nunca praticam desordens, nem incômodos. São, freqüentemente, Espíritos sofredores, cujos sofrimentos podeis aliviar orando por eles. Outras vezes, são mesmo Espíritos benfazejos, que vos querem provar estarem junto de vós, ou, então, Espíritos levianos que brincam. Como quase sempre os que perturbam o repouso são Espíritos que se divertem, o que de melhor têm a fazer, os que se vêem perseguidos, é rir do que lhes sucede. Os perturbadores se cansam, verificando que não conseguem meter medo, nem impacientar.

        Resulta das explicações acima haver Espíritos que se prendem a certos_lugares, preferindo permanecer neles, sem que, entretanto, tenham necessidade de manifestar sua presença por meio de efeitos sensíveis. Qualquer lugar pode constituir morada obrigatória, ou predileta de um Espírito, embora mau, sem que jamais qualquer manifestação se produza.

        Os que se prendem a certas localidades, ou a certas coisas materiais nunca são Espíritos superiores. Contudo, mesmo que não pertençam a esta categoria, pode dar-se que não sejam maus e nenhuma intenção má alimentem. Não raro, são até comensais mais úteis do que prejudiciais, porquanto, desde que se interessam pelas pessoas, podem protegê-las.

 

[17b - página 179 item 132]

ATOS [19]

  • 1 E sucedeu que, enquanto Apolo estava em Corinto, Paulo tendo atravessado as regiões mais altas, chegou a Éfeso e, achando ali alguns discípulos,

  • 2 perguntou-lhes: Recebestes vós o Espírito Santo quando crestes? Responderam-lhe eles: Não, nem sequer ouvimos que haja Espírito Santo.

  • 3 Tornou-lhes ele: Em que fostes batizados então? E eles disseram: No batismo de João.

  • 4 Mas Paulo respondeu: João administrou o batismo do arrependimento, dizendo ao povo que cresse naquele que após ele havia de vir, isto é, em Jesus.

  • 5 Quando ouviram isso, foram batizados em nome do Senhor Jesus.

  • 6 Havendo-lhes Paulo imposto as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo, e falavam em línguas e profetizavam.

  • 7 E eram ao todo uns doze homens.

  • 8 Paulo, entrando na sinagoga, falou ousadamente por espaço de três meses, discutindo e persuadindo acerca do reino de Deus.

  • 9 Mas, como alguns deles se endurecessem e não obedecessem, falando mal do Caminho diante da multidão, apartou-se deles e separou os discípulos, discutindo diariamente na escola de Tirano.

  • 10 Durou isto por dois anos; de maneira que todos os que habitavam na Ásia, tanto judeus como gregos, ouviram a palavra do Senhor.

  • 11 E Deus pelas mãos de Paulo fazia milagres extraordinários,

  • 12 de sorte que lenços e aventais eram levados do seu corpo aos enfermos, e as doenças os deixavam e saíam deles os espíritos malignos.

  • 13 Ora, também alguns dos exorcistas judeus, ambulantes, tentavam invocar o nome de Jesus sobre os que tinham espíritos malignos, dizendo: Esconjuro-vos por Jesus a quem Paulo prega.

  • 14 E os que faziam isto eram sete filhos de Ceva, judeu, um dos principais sacerdotes.

  • 15 Respondendo, porém, o espírito maligno, disse: A Jesus conheço, e sei quem é Paulo; mas vós, quem sois?

  • 16 Então o homem, no qual estava o espírito maligno, saltando sobre eles, apoderou-se de dois e prevaleceu contra eles, de modo que, nus e feridos, fugiram daquela casa.

  • 17 E isto tornou-se conhecido de todos os que moravam em Éfeso, tanto judeus como gregos; e veio temor sobre todos eles, e o nome do Senhor Jesus era engrandecido.

  • 18 E muitos dos que haviam crido vinham, confessando e revelando os seus feitos.

  • 19 Muitos também dos que tinham praticado artes mágicas ajuntaram os seus livros e os queimaram na presença de todos; e, calculando o valor deles, acharam que montava a cinqüenta mil moedas de prata.

  • 20 Assim a palavra do Senhor crescia poderosamente e prevalecia.

  • 21 Cumpridas estas coisas, Paulo propôs, em seu espírito, ir a Jerusalém, passando pela Macedônia e pela Acaia, porque dizia: Depois de haver estado ali, é-me necessário ver também Roma.

NO VELHO TESTAMENTO

 

I SAMUEL [16]

  • 14 Ora, o Espírito do Senhor retirou-se de Saul, e o atormentava um espírito maligno da parte do Senhor.

  • 15 Então os criados de Saul lhe disseram: Eis que agora um espírito maligno da parte de Deus te atormenta;

  • 16 dize, pois, Senhor nosso, a teus servos que estão na tua presença, que busquem um homem que saiba tocar harpa; e quando o espírito maligno da parte do Senhor vier sobre ti, ele tocara com a sua mão, e te sentirás melhor.

  • 17 Então disse Saul aos seus servos: Buscai-me, pois, um homem que toque bem, e trazei-mo.

  • 18 Respondeu um dos mancebos: Eis que tenho visto um filho de Jessé, o belemita, que sabe tocar bem, e é forte e destemido, homem de guerra, sisudo em palavras, e de gentil aspecto; e o Senhor é com ele.

  • 19 Pelo que Saul enviou mensageiros a Jessé, dizendo: Envia-me Davi, teu filho, o que está com as ovelhas.

  • 20 Jessé, pois, tomou um jumento carregado de pão, e um odre de vinho, e um cabrito, e os enviou a Saul pela mão de Davi, seu filho.

  • 21 Assim Davi veio e se apresentou a Saul, que se agradou muito dele e o fez seu escudeiro.

  • 22 Então Saul mandou dizer a Jessé: Deixa ficar Davi ao meu serviço, pois achou graça aos meus olhos.

  • 23 E quando o espírito maligno da parte de Deus vinha sobre Saul, Davi tomava a harpa, e a tocava com a sua mão; então Saul sentia alívio, e se achava melhor, e o espírito maligno se retirava dele.

Ver também:

 

Crianças e Adolescentes

DESAPARECIDOS