Satélites naturais

        Antes que as massas planetárias houvessem atingido um grau de resfriamento bastante a lhes operar o solidificação, massas menores, verdadeiros glóbulos líquidos, se desprenderam de algumas no plano equatorial, plano em que é maior a força centrífuga, e, por efeito das mesmas leis, adquiriram um movimento de translação em torno do planeta que as gerou, como sucedeu a estes com relação ao astro central que lhes deu origem.

        Foi assim que a Terra deu nascimento à Lua, cuja massa, menos considerável, teve que sofrer um resfriamento mais rápido. Ora, as leis e as forças que presidiram ao fato de ela se destacar do equador terreno, e o seu movimento de translação no mesmo plano, agiram de tal sorte que esse mundo, em vez de revestir a forma esferoidal, tomou a de um globo ovóide, isto é, a forma alongada de um ovo, com o centro de gravidade fixado na parte inferior.

[38 - capítulo VI  página 120 item 24 ] - Allan Kardec  - A Gênese - 1868

        O número e o estado dos satélites de cada planeta têm variado de acordo com as condições especiais em que eles se formaram. Alguns não deram origem a nenhum astro secundário, como se verifica com Mercúrio, Vênus e Marte (2), ao passo que outros, como a Terra, Júpiter, Saturno, etc., formaram um ou vários desses astros secundários.

 

(2) Nota da Editora: Em 1877, foram descobertos dois satélites de Marte: Fobos e Deimos.


[38  - capítulo VI  página 12 item 26 ]
- Allan Kardec  - A Gênese - 1868

        Considerando as formas irregulares dos satélites de Marte - Fobos e Deimos -, conforme informações abaixo,  estes satélites não devem ter sidos originados do planeta Marte. Provavelmente asteróides, do cinturão de asteróides, - situado entre Marte e Júpiter -  que tenham entrado na órbita de Marte, sendo considerados satélites de Marte. De forma semelhante, seria se considerássemos o asteróide Ceres -  com 1.000 Km de diâmetro-, situado no referido cinturão de asteróides, como sendo mais um planeta do sistema solar.  Outrossim, devemos considerar que o planeta Marte é o que está mais próximo desse cinturão de asteróides

[0]

Asaph Hall (1929-1907) que descobriu os pequenos satélites do planeta (Phobos e Deimos)

http://www.cdcc.sc.usp.br/cda/aprendendo-basico/sistema-solar/marte.html#Heading28 

  • Fobos: O mais próximo do planeta, tem diâmetro equatorial bem maior que o diâmetro polar. Seu período de translação ao redor do planeta é de 7h 40min, sendo o único satélite do sistema solar com período de translação menor do que a rotação do seu planeta. Isso se deve à grande proximidade do centro do planeta 9.400 Km.

  • Deimos: O mais afastado (23.500 Km do centro), tem período de translação de 30h 17min. Suas dimensões são cerca de metade de Fobos.

        Ambos os satélites possuem uma forma bem irregular assemelhando-se a uma  batata com dimensões em torno de 15 quilômetros.

http://www.cdcc.sc.usp.br/cda/aprendendo-basico/sistema-solar/marte.html#Heading27 

 

Phobos  

satélite de Marte

tamanho (Km): 

26,8 x 22,4 x 18,4

Deimos

satélite de Marte

tamanho (Km): 

15 x 12,2 x 10,4

Asteróides do Cinturão

http://www.xtec.es/~rmolins1/solar/es/mart.htm

Crianças e Adolescentes

DESAPARECIDOS