Pais:



Casamento:

 Jose Correia de Lemos

Francisca de Lira






Filhos:

  1. Antonio Correia de Lemos casado com Maria de Quadros, filha de Mauricio de Castilho e Maria de Quadros.
    Antonio faleceu no sertão com apontamento que recebeu o cumpra-se em 12-10-1664. Geração na família “Quadros” neste site.


  2. Francisco Correia de Lemos, nascido no Espírito Santo e casado em São Paulo com Maria de Morais, filha de Vitor Antonio e Sebastiana Ribeiro de Morais.
    Francisco morreu em Itu (SP) a 12 de outubro de 1698. Deles vieram:

    Francisco Correia de Lemos natural da Capitania do Espirito Santo. Em 1630 requereu Datas:

    Datas: 95. Francisco Correia Lemos- 6/4/1630- Foi morador do ES. No rocio da vila, indo para N.S. do Guaré pelo caminho da encruzilhada de Piratininga até Ascenço Ribeiro em Piratininga até a encruzilhada de Tabacoara, terras devolutas.

    Francisco testou em 14-08-1697. Seu testamento recebeu o cumpra-se em 23 do mesmo mês e ano e foi inventariado em 02-01-1700. Foi casado com Maria de Moraes falecida em 12-08-1700 e inventariada em 7-1-1711 (ambos os inventários em SAESP vol. 24) SL. 7, 137, 3-2.

    Foram sete os filhos do casal, cinco machos e duas femeas:

    2-1 Francisco Correia de Lemos, casado, testamenteiro paterno.

    2-2 Manoel Correia de Lemos, casado com Luiza de Mendonça, foi inventariado em 25-3-1693. Teve dois filhos de seu casal (SAESP vol. 23º) Manuel Correia de Lemos, casado em São Paulo em 1666 com Luísa de Siqueira de Mendonça. Ele estava nos sertões em 1670. Em 1677 era ajudante do sargento mor na conquista do gentio da Bahia. Morreu em 1693,
    pais de:

    2-2-1 Manoel, com 4 anos em 1693. Manoel Correia de Lemos dá quitação da legitima da avó paterna em 02-01-1727.

    2-2-2 Maria com dois anos em 1693. Maria de Moraes em 15-9-1726 estava casada com Theodozio Domingues.

    2-3 Jose Correia de Moraes, casado.

    2-4 Luiz Correia de Lemos, solteiro em 1697. Assinou a rogo da mãe. Estava casado em 1711.

    2-5 Simão Correia de Lemos estava casado em 1711.

    2-6 Maria da Luz de Lemos em 1697 era viúva de Estevão Barboza Sotto Mayor.

    2-7 Catharina de Lemos, solteira em 1697. Casou com João de Godoy Moreira, viúvo de Maria de Lima. Geração na família “Godoy”, neste site.

    http://www.projetocompartilhar.org/Familia/JoseCorreiadeLemos.htm

    (Ver abaixo "Projeto Compartilhar")

  3. Lourenço Correia de Lemos, nascido no Espírito Santo e casado em São Paulo com Rufina de Morais, filha de Baltazar de Morais de Antas e Inês Rodrigues. Ele faleceu em bandeira pelo sertão de São Paulo (????) em 1666.

    (Ver abaixo "Projeto Compartilhar")


  4. (hipótese) Luzia Correia (de Lemos)c.c. Antonio Rodrigues da Guarda, que nasceu em fins do século XVI ou princípios do século XVII. Moravam na capitania do Espírito Santo.

  5. (hipótese) Simão Correia de Lemos (001-002-0281-(26)- 1646- ES)
    Pai de:
    1. (hipótese) Manuel Correia de Lemos, nomeado capitão mor no Espírito Santo em março de 1709, servira no forte de São João como alferes de ordenanças e capitão dele (de 1697 a 1705). Nessa ocasião expulsou nau holandesa de piratas que apareceu naquelas plagas. Manuel estava capitão mór do Espírito Santo e foi nomeado a 4 de agosto de 1710 provedor da Fazenda Real. Governou a capitania até 1716.

      discórdias – ainda o CaminHo das minas – À Bahia chegaram delações contra o capitão-mor Francisco de Albuquerque Teles, obrigando o governador geral a dirigir-se ao provedor da Fazenda Manuel Correia de Lemos.31 Pedia informações sobre a suficiência do acusado, estado das fortificações, prosseguimento das pesquisas de ouro e abertura do caminho para as minas gerais, pois constava que o capitão-mor se associara a Pedro Bueno Cacunda 32 para levar a cabo a ligação da capitania com aquela região, “o que convém atalhar logo por todos os meios possíveis para evitar as danosas e irremediáveis conseqüências que precisamente se hão de seguir contra o serviço de Sua Majestade e conservação da dita Capitania”.33

      31 - Nomeado em quatro de agosto de 1710 em substituição a Francisco Monteiro de Morais, já falecido àquela data. De notar-se que a provisão de nomeação se refere ao “capitão-mor Manuel Correia de Lemos” (DH, LIX, 190-1).

      Manuel Correia de Lemos, nomeado a vinte e quatro de março de 1709, servira na capitania do Espírito Santo “por espaço de algum tempo nos postos de Alferes da Ordenança e Capitão do Forte de São João em que foi provido pelo Governador da Bahia Dom João de Lancastre e confirmado por mim desde vinte e dois de Outubro de 697 até doze de Junho de 705 em que ficava continuando e antes do dito tempo acudiu a fortaleza da Barra onde esteve de guarnição enquanto ali assistia uma nau de piratas holandesa na fortificação daquela vila trabalhar com a sua pessoa e escravos com todo cuidado e diligência havendo-se no exercício do posto de Capitão com muito zelo e vigilância nas ocasiões em que o pirata infestou aquela Costa reparando à sua custa as ruínas do Forte e fazendo fazer de novo o necessário, para sua defensa disciplinando os soldados aos quais remediava nas suas necessidades sendo das principais pessoas daquela Capitania e mui zeloso do meu serviço e por esperar dele que em tudo o de que for encarregado se haverá com satisfação” (DH, LIX, 215-6), – Em vinte de maio de 1711, o governador geral escreveu aos “officiaes da Camara da Capitania do Espirito Santo” ordenando que entregassem o governo local a Manuel Correia de Lemos caso Francisco de Albuquerque Teles morresse ou já tivesse morrido (DH, LXX, 89). Parece que o passamento deste se verificou antes do recebimento daquela carta, pois os oficiais da Câmara assumiram logo a direção do governo (DH, LXX, 94-5 e 95-7). Recebida a missiva, cumpriram a determinação, passando as responsabilidades da administração a Correia de Lemos, que governou até 1716 (DH, LXX, 311).

      – A onze de julho de 1711, o governador geral dirigia-se a Manuel Correia de Lemos, sucessor de Albuquerque Teles, nos seguintes termos: “Sinto que o Capitão-mor Francisco de Albuquerque Felix (sic) falecesse antes de me ser presente o mal que tinha procedido nas obrigações do seu lugar pois lhe havia de dar tal castigo que servisse de exemplo aos que naquele posto não procederam como devem. Eu lhe havia ordenado evitasse por todos os caminhos se não descobrissem as minas em que Vossa Mercê me fala, por Sua Majestade o haver assim resoluto em suas reais ordens” (DH, LXX, 90-4). - ([1] Página 193)

      Em 1715 - São conhecidos alguns nomes ligados a esse empreendimento, sendo de notar, entre eles, dois clérigos: padres Bartolomeu Martins e Domingos de Matos; e dois capitães-mores: João de Velasco e Molina e Manuel Correia de Lemos. - ([1] Página 197)

      47 - O marquês de Angeja escreveu a Manuel Correia de Lemos para que entregasse o governo a Velasco e Molina, no dia vinte e oito de agosto de 1716 (DH, LXX, 311). - ([1] Página 196)

      Manuel Correia de Lemos, obteve uma sesmaria em 11 de Novembro de 1716 "entre o riacho e rio doce, no fim das terras dos índios dos Reis Magos, pela costa. Obs.: A Fazenda Santa Juanna, de propriedade de Joaquim Ribeiro Pinto de Mattos, neto de João de Lemos Amorim, estava localisada nesta região.



      pai de:
      1. Hipótese: Manoel Correia de Lemos

        Assinatura de Manoel Correia de Lemos na REPRESENTAçãO dos Oficiais Militares da Vila da Vitória e Oficiais da Câmara e Bons do Povo da Vila de Guarapari, ao Rei D. João V, a pedirem a recondução do Ofício de Ouvidor Geral Mateus Nunes Jose de Macedo, pelos bons serviços prestados à Capitania do Espírito Santo,
        em 14 de Julho de 1747.







        pai de:
        1. Hipótese: Josefa Maria da Conceição c.c. Andre Correia de Lirio,

          pais de:

          1. Manoel Correia de Lemos c.c. Anna Pinto Ribeiro






            Capitães-mores:

            Manuel de Morais 1682 a 1688
            Manuel Peixoto da Mota 1688 a 1689
            João de Velasco e Molina 1689 a 1694
            Jose Pinheiro de Barbuda 1694 a 1699
            Francisco Monteiro Morais........: 1699 a 1701
            Francisco Ribeiro de Miranda.....: 1701 a 1705
            Álvaro Lobo Contreiras..............: 1705 a 1709
            Francisco de Albuquerque Teles.: 1709 a 1710
            Manuel Correia de Lemos...........: 1710 a 1716
            ([1] Página 540)
 

PROJETO COMPARTILHAR

Coordenação: Bartyra Sette e Regina Moraes Junqueira

www.projetocompartilhar.org

Jose Correia DE LEMOS

(atualizado em 30-maio-2017)

Bartyra Sette

Fabricio Gerin

Jose Correia de Lemos e sua mulher Francisca de Lira tiveram os filhos, esparsos na GP, q.d.:

1- Antonio Correia de Lemos casado com Maria de Quadros, filha de Mauricio de Castilho e Maria de Quadros. Antonio faleceu no sertão com apontamento que recebeu o cumpra-se em 12-10-1664. Geração na família “Quadros” neste site.

2- Francisco Correia de Lemos natural da Capitania do Espirito Santo. Em 1630 requereu Datas:

Datas: 95. Francisco Correia Lemos- 6/4/1630- Foi morador do ES. No rocio da vila, indo para N.S. do Guaré pelo caminho da encruzilhada de Piratininga até Ascenço Ribeiro em Piratininga até a encruzilhada de Tabacoara, terras devolutas.

Francisco testou em 14-08-1697. Seu testamento recebeu o cumpra-se em 23 do mesmo mês e ano e foi inventariado em 02-01-1700. Foi casado com Maria de Moraes falecida em 12-08-1700 e inventariada em 7-1-1711 (ambos os inventários em SAESP vol. 24) SL. 7, 137, 3-2.

Foram sete os filhos do casal, cinco machos e duas femeas:

2-1 Francisco Correia de Lemos, casado, testamenteiro paterno.

2-2 Manoel Correia de Lemos, casado com Luiza de Mendonça, foi inventariado em 25-3-1693. Teve dois filhos de seu casal (SAESP vol. 23º):

2-2-1 Manoel, com 4 anos em 1693. Manoel Correia de Lemos dá quitação da legitima da avó paterna em 02-01-1727.

2-2-2 Maria com dois anos. Maria de Moraes em 15-9-1726 estava casada com Theodozio Domingues.

2-3 Jose Correia de Moraes, casado.

2-4 Luiz Correia de Lemos, solteiro em 1697. Assinou a rogo da mãe. Estava casado em 1711.

2-5 Simão Correia de Lemos estava casado em 1711.

2-6 Maria da Luz de Lemos em 1697 era viúva de Estevão Barboza Sotto Mayor.

2-7 Catharina de Lemos, solteira em 1697. Casou com João de Godoy Moreira, viúvo de Maria de Lima. Geração na família “Godoy”, neste site.

3- Lourenço Corrêa de Lemos, natural da capitania do Espírito Santo, casou com Rufina de Moraes de quem foi o primeiro marido. Rufina testou em 13-02-1677 e foi inventariada por seu segundo marido Cap. Fernando de Aguirra em 20-03-1677. Sem geração deste matrimônio, declarou cinco filhos do primeiro.

Departamento do Arquivo do Estado de São Paulo

Inventários e Testamentos não publicados

Pesq.: Fabricio Gerin/Bartyra Sette

[muito danificado]

Rufina de Moraes 1677

20-03-1677 termo desta vila de Santana das Cruzes de Mogi, fazenda e sitio de imirinambaba no qual sitio e casa achamos Diogo Ayres Daguirra e perguntamos sobre os bens da defunta sua sogra Rufina de Moraes.

Seja notificada Ignez Correia de Lemos, dona viuva, para responder se quer algo dos bens que ficaram de sua mãe Rufina de Moraes. 11-04-1677

Digo eu Diogo Arias de Aguirre que é verdadeira a quantia que era a dever [-------------------] 28-12-1672

Recebi de meu irmão Diogo Barboza Rego ---------------- que estava depositado em sua mão ------------- orfãos, o qual dinheiro coube de legitima a Maria Correia minha ------------------ 08-08-1675 João Martins Bonilha.

Aos 13-02-1677 eu Rufina de Moraes (...) testamenteiros o Cap. Fernando de Aguirre, meu genro Manoel João, meu genro João Baruel.

Fui casada primeira vez com Lourenço Correia e tivemos os filhos seguintes:

Francisca de Lira cc Manoel João

Ignez Correia mulher que foi de Miguel Fragoso

Izabel Correia mulher de João Baruel

Catarina Correia mulher de Diogo Arias

Maria de Moraes mulher de João Martins.

Casei segunda vez com Cap. Fernando de Aguirra a quem deixo o remanescente da minha terça.

Criei uma bastarda por nome Beatriz, tida e havida por filha do Cap. Lourenço Correia meu primeiro marido, a qual houve depois de ser casado.

Foram filhos do Cap. Lourenço:

3-1b Beatriz, bastarda, criada por Rufina.

Filhos de Rufina e Cap. Lourenço, situação em 1677:

3-1 Francisca de Lira casada com Manoel João (de Oliveira). Manoel João foi inventariado em dezembro de 1688. Deixou dez filhos de seu casal (SAESP vol. 22º, neste site).

3-2 Ignez Correia foi casada com Miguel Fragoso de Mattos, juiz ordinário em Mogi das Cruzes onde foi inventariado em 1668.

Departamento do Arquivo do Estado de São Paulo

Inventários e Testamentos não publicados

Pesq.: Fabricio Gerin e Bartyra Sette

Miguel Fragoso de Mattos, 1668;

Aos 18-12-1668 nesta vila S. Paulo foi apresentada uma precatoria da vila de Santa Ana das Cruzes de Mogi.

Ignez Correia dona viuva que ficou do defunto Miguel Fragoso de Mattos.

Inventario foi aberto em Mogi das Cruzes onde o defunto era juiz ordinario. E nesta vila de S. Paulo ficaram algumas cousas (...).

Aos 18-12-1668 nesta vila de S. Paulo apareceu Pedro de Mattos para dar contas da fazenda que em seu poder tem do defunto Miguel Fragoso de Mattos.

Entre os cinco filhos do casal, citados em SL. 7º, 93, 2-1:

3-2-1 Miguel Fragosos de Mattos faleceu em Nazare Paulista aos 16-08-1697 casado com Ana Moreira com 18 anos em 1680 (citada na GP como Ana Maria de Godoy), filha de Maria Ribeiro e Belchior de Godoy Moreira inventariado em 07-11-1680 (SAESP vol. 19º). Ana faleceu em Nazaré em 02-01-1731.

Nazaré Paulista, SP Igreja N. Sra de Nazaré aos 16-08-1697 fal. Miguel Fragosos de Mattos. Testamenteiros seu irmão Cristovão Fragoso de Mattos e a seu cunhado Gaspar de Godoy Ribeiro.

Nazaré Paulista, SP igreja n. Sra de Nazaré aos 02-01-1731 fal. Ana Moreira de idade 70 anos pouco mais ou menos, test.: Salvador Gonçalves Murzilho, Domingos Gonçalves da Cunha e Antonio Rodrigues da Cunha.

3-2-2 Cristóvão Fragoso testamenteiro do irmão Miguel. Já falecido em 1714 (testamento do irmão Lourenço): “meu irmão Cristovao Fragoso q Deus haja”.

3-2-3 Lourenço Correia de Lemos foi casado com Izabel Correia de Moraes, filha do Cap. João Dias Mendes e sua primeira mulher Margarida Correia, aportes à GP: “Izabel de Moraes” SL. VII, 165, Cap. 4º.

Lourenço faleceu com testamento que recebeu o “cumpra-se” em 01-07-1714 e foi inventariado em Mogi das Cruzes em 09-10-1714

Departamento do Arquivo do Estado de São Paulo

Inventários e Testamentos não publicados

Inventarios de Mogi das Cruzes-SP: 2º Cartório

Pesq.: Fabricio Gerin e Bartyra Sette

Inventariado Lourenço Correia de Lemos marido de Izabel Correia de Moraes.

Capa - filhos

Miguel Fragoso, 30

Joao Correia de Moraes, 23

Teresa cc Tome de Abreu Barreto, 27

Lorenco, 10

Salvador. 8

Margarida, 20

Leonor, 22

Tutor e curador dos orfãos acima Miguel Fragoso de Mattos

Autos 09-10-1714 em pousadas q ficaram do defunto Francisco Jorge

Declarante a viuva cabeca de casal Izabel Correia de Moraes

4 filhos machos: Miguel Fragoso de Mattos, 30 = João Correia de Moraes, 23 casado = Lourenço de 10 = Salvador de 8 =

Filhas Teresa Pinta, cc Tome de Abreu Barreto, 27 = Leonor, 22 = Margarida de 20 = Ana de 16

Faleceu em 01-07 da dita era com testamento.

Assino a rogo de minha mae Miguel Fragoso de Mattos

Termo de composição que amigavelmente fizeram os herdeiros: 04-01-1726

Izabel C. de Moraes(sic) ja falecida,  da qual não ficaram bens alguns.

Tome de Abreu Barreto por cabeça de s/m Teresa Pinta de Menezes.

Fco Pinheiro Cardozo por cabeca de s/m Leonor Correia de Moraes

Fco da Cunha Gago por cab s/m Ana das Neves

Miguel Fragoso de Mattos com seus irmaos

Joao Correia de Moraes, Lourenco Correia de Moraes e Margarida Lopes de Moraes

Testamento: 04-01-1714 Mogi

Eu Lourenço Correia de Lemos

Testamenteiros meu filho Miguel Fragoso e Antonio Pinto.

Sou n desta vila de Sta Ana das Cruzes, f.l. Miguel Fragoso de Mattos e Ignez Correia de Lemos.

Sou cc Izabel Correia de Mattos(sic) f. do cap. João Dias Mendes e Margarida Correia.

Temos 8 filhos, 4 filhos e 4 filhas: Miguel Fragoso, João Correia, Lourenço Correia, Salvador de Moraes, filhas: Teresa Pinta, cc = Leonor Correia, Margarida Correia e Ana Correia, solteiras.

(…) deve meu filho Miguel Fragoso que paguei por ele a Antonio Pinto 48$000 rs, deve mais 20$000 que lhe emprestei para pagar a seu tio Marcellino Correia.

(…) meu irmão Cristovao Fragoso q Deus haja.

Cumpra-se 01-07-1714

Izabel e Lourenço tiveram oito filhos, situação em 09-10-1714:

3-2-3-1 Miguel Fragoso de Mattos, 30 anos.

3-2-3-2 Teresa Pinta de Menezes, batizada em agosto de 1685. Em 1714, com 27 anos, estava casada com Tomé de Abreu Barreto.

Paroquia de Sant'Ana de Mogi das Cruzes-SP, agosto-1685 Teresa f. Lourenço Correia e Izabel Frz de Mattos, padr.: João Dias Mendes e Maria da Luz.

Pais de, pelo menos:

3-2-3-2-1 Maria batizada em 03-03-1728.

Paroquia de Sant'Ana de Mogi das Cruzes-SP, aos 03-03-1728 Maria, f.l. Tome de Abreu Barreto e Teresa Pinta, padr.: o batizante Revdo Padre Frei Valerio de Monte Carmelo e Maria da Cunha.

3-2-3-3 João Correia de Moraes, 23 anos.

3-2-3-4 Leonor Correia de Moraes, 22 anos, solteira. Casou com Francisco Pinheiro Cardozo, batizado em 31-01-1694, filho de Sebastião Rodrigues Lopes e Ana Gordilha.

Guarulhos, SP Igreja N. Sra da Conceição aos 31-01-1694 bat Francisco, f.l Sebastião Roiz Lopes e Ana Gordilha padr.: o Pe. Francisco Ribeiro Baião e -------.

Leonor testou em 02-11-1745 e faleceu em 09-07-1747, declarou cinco filhos de seu casal. Francisco faleceu leso, sem testamento, em 16-09-1772 deixando dois filhos: Marcellino, então com 40 anos e Helena, lesa.

Departamento do Arquivo do Estado de São Paulo

Inventários e Testamentos não publicados

Inventarios de Mogi das Cruzes-SP: 2º Cartório

Pesq.: Fabricio Gerin e Bartyra Sette

Leonor Correia de Moraes, mulher de Francisco Pinheiro

Testamento 02-11-1745

Testamenteiros: m/irmão Miguel Fragoso de Mattos e a m/marido Francisco Pinheiro Cardozo.

Sou f.l. de Lourenço Correia de Lemos e Isabel Correia, naturais de Mogi - casada com Francisco Pinheiro Cardozo, natural da cidade de São Paulo - temos 4 filhas e 1 filho: Josefa Pinheira cc André da Cunha de Pontes, e 3 solteiras: Helena Pinheira, Maria Pinheira e Margarida Cardosa, e Marcellino Pinheiro.

Autos: 18-03-1747

Declarante o viuvo.

Falecera com testamento aos 09-07 do presente ano de 1747. Fora somente casada com o dito. Tiveram cinco filhos: Josefa cc Andre da Cunha Pontes = Helena de 28 anos = Maria de 19 = Marcellino de 16 = Margarida de tres anos.

Titulo dos Filhos:

Josefa cc Andre da Cunha

Helena, 28

Maria, 19

Marcellino, 16

Margarida, tres anos.

03-01-1754 tutoria a João do Prado Raposo para tutor e curador do viuvo Francisco Pinheiro Cardozo por este estar leso, sem disposição alguma para se poder reger e aos seus filhos orfãos.

10-09-1747 diz Andre da Cunha Lobo por cabeca de Josefa Pinheira Cardosa (...)

Diz Maria do Rosario, f. Francisco Pinheiro e Leonor Correia de Moraes, que ela se acha habilitada.

Diz Joao do Prado Raposo que ele tem servido de tutor de seu sogro Francisco Pinheiro ha mais de 4 anos - pede remoção da mesma - 07-09-1767.

Diz João Barboza Machado como tutor de Francisco Pinheiro e de Helena Pinheiro, estes lesos -

Autos do inventário de Francisco Pinheiro aos 23-09-1772

Inventariante seu filho Marcellino Correia de Moraes.

Faleceu aos 16-09-1772 sem testamento. Deixara dois filhos.

Titulo dos Filhos: Marcellino, 40 = Helena, lesa de 36(sic) anos.

3-2-3-4-1 Josefa Pinheira casada com André da Cunha de Pontes. Segunda vez Josefa casou com João do Prado Raposo, viúvo de Maria Pires de Moraes (ou de Pontes). Geração na família “Nunes de Pontes” Cap. 1º, § 3º.

3-2-3-4-2 Helena Pinheira, com 28 anos em 1747, solteira. Lesa em 1772.

3-2-3-4-3 Maria Pinheira (ou Maria do Rosario de Jesus), com 19 anos. Em 08-03-1756 casou com João Barboza Machado, viúvo de Rosa Pereira.

Guarulhos, SP Igreja N. Sra da Conceição aos 08-03-1756 João Barboza Machado viuvo de Rosa Pereira = cc Maria do Rosario de Jesus n. freg. Mogi das Cruzes f.l. Francisco Pinheiro Cardozo e Leonor Correia de Moraes.

3-2-3-4-4 Marcellino Pinheiro, com 16 anos. Marcellino Correia de Moraes, com 40 anos em 1772, inventariante paterno. Em 1772 dispensados do impedimento em 4º grau se casou com Rosa Rodrigues de Siqueira, viúva de Manoel Alves Nogueira e filha de Miguel Rodrigues Carassa e Izabel de Araujo, neta paterna de João Rodrigues Carassa e Ana Rodrigues de Oliveira.

Paroquia de Sant'Ana de Mogi das Cruzes-SP, aos 23-01-1772 Marcellino Correia de Moraes, n. desta, f.l. Francisco Pinheiro Cardozo e Leonor Correia de Moraes, np Francisco Rodrigues Lopes e Ana Pinheira Cardosa, nm Lourenço Correia de Lemos e Izabel Correia = cc Rosa Rodrigues de Siqueira, desta vila, viuva de Manoel Alves Nogueira e filha leg. Miguel Rodrigues Carassa e Izabel de Araujo, np João Rodrigues Carassa e Ana Rodrigues de Oliveira, nm não souberam dizer.

Duplicata:

Paroquia de Sant'Ana de Mogi das Cruzes-SP, aos 08-12-1772 dispensados do impedimento em 4º grau, Marcellino Correia de Moraes, Francisco Pinheiro Cardozo e Leonor Correia de Moraes, np Francisco Rodrigues Lopes e Ana Pinheira, nm Lourenço Correia de Lemos e Izabel Correia = cc Rosa Rodrigues de Siqueira, viuva de Manoel Alves Nogueira, f.l. Miguel Rodrigues Carassa e Izabel de Araujo, np João Rodrigues Carassa e Ana Rodrigues de Oliveira, nm se não se pode averiguar.

3-2-3-4-5 Margarida Cardosa, com três anos em 1747.

3-2-3-5 Margarida Correia ou Lopes de Moraes, 20 anos, solteira em 1714. Faleceu em Mogi das Cruzes aos 02-11-1768, com 60 anos, casada com Jose de Faria (Baynho). Tiveram os filhos, q.d.:

Mogi das Cruzes, SP Paroquia de Sant'Ana de Mogi ds Cruzes-SP, aos 02-11-1768 de idade de 60 anos faleceu Margarida Lopes de Moraes, natural e moradora nesta freguesia, casada com Jose de Faria. Não fez testamento por ser pobre.

3-2-3-5-1 Rosa de Faria em 19-05-1768 casou com Alexandre Fernandes, filho de Geraldo Fernandes Nogueira e Catarina Pinta de Moraes, neto paterno de Geraldo Fernandes Nogueira e Catarina Gomes, neto materno de Manoel da Costa Lima e Francisca Carassa de Jesus - família "Miguel Fernandes Nogueira".

Paroquia de Sant'Ana de Mogi ds Cruzes-SP, aos 19-05-1768 Alexandre Fernandes, f.l. Geraldo Fernandes Nogueira e Catarina Pinta de Moraes, np Geraldo Fernandes Nogueira e Catarina Gomes, nm Manoel da Costa Lima e Francisca Carassa de Jesus = cc Rosa de Farias, f.l. Jose de Farias e Margaria Lopes, np Matias Henriques e Teodosia de Farias, nm Lourenço Correia e Izabel Correia. Ambos os contraentes ntes desta. Test.: Antonio Martins cc Angela de Farias, e Manoel da Cunha, solteiro filho de Bernardo da Cunha e Maria Nunes.

3-2-3-5-2 Miguel Fragoso de Faria foi o segundo marido de Catarina de Jesus Moraes, filha de Manoel da Costa Lima e Francisca de Jesus Carassa - família “Manoel da Cunha”.

Pais de, q.d.:

3-2-3-5-2-1 Rosa Maria aos 07-08-1788 casou com Domiciano Pinto do Rego, filho de Francisco Pinto do Rego e Ana Pires de Moraes, neto paterno de João Pinto do Rego e Ana da Silva, neto materno de Pedro de Moraes Muniz e Maria Mendes

Paroquia de Sant'Ana de Mogi das Cruzes-SP, aos 07-08-1788 Domiciano Pinto do Rego, f.l. Francisco Pinto do Rego e Ana Pires de Moraes, np João Pinto do Rego e Ana da Silva, nm Pedro de Moraes Muniz e Maria Mendes = cc Rosa Maria, f.l. Miguel Fragoso de Faria e Catarina de Jesus Moraes, np Jose de Faria e Margarida Lopes, nm não deram noticia.

3-2-3-5-2-2 Ana Angelica em novembro de 1786 casou com Joaquim, exposto em casa de Josefa Maria.

Paroquia de Sant'Ana de Mogi das Cruzes-SP, aos --- de Novembro de 1786 Joaquim ---- n. desta vila, f. pais incognitos e exposto em casa de Josefa Maria = cc Ana Angelica, n. desta, f.l. Miguel Fragoso de Faria e Catarina de Jesus Moraes, np Jose de Faria e Catarina Lopes, nm Manoel da Costa e Francisca Carassa todos nts desta.

3-2-3-5-3 Angela de Faria aos 27-12-1742 casou com Antonio Martins de Siqueira, filho de Antonio de Siqueira Baião e Margarida Martins. Geração em SL. 7, 514, 4-1

Paroquia de Sant'Ana de Mogi das Cruzes-SP, aos 27-12-1742 Antonio Martins de Siqueira, f.l. Antonio de Siqueira Baião e Margarida Martins, nts e moradores da vila de Itu = cc Angela de Faria, f.l. Jose de Faria Baynho e Margarida Lopes de Moraes, estes nts e moradores desta vila.

3-2-3-6 Ana Correia, batizada em 1698. Solteira com 16 anos em 1714. Ana das Neves de Moraes casou com Francisco Antonio da Cunha Gago, batizado em Guarulhos em 1696, filho de Valerio de Mendonça Gago e sua primeira mulher Maria Vaz Moniz - familia “Domingos de Góes” neste site.

Paroquia de Sant'Ana de Mogi das Cruzes-SP, em 1698 Ana f. Lourenço Correia e Izabel Fernandes de Mattos

Francisco Antonio faleceu em 1763. Entre seus filhos:

Paroquia de Sant'Ana de Mogi ds Cruzes-SP, em 1763 fal. Francisco Antonio cc Ana das Neves de Moraes

3-2-3-6-1 Jose batizado em 12-10-1727.

Paroquia de Sant'Ana de Mogi das Cruzes-SP, aos 12-10-1727 Jose, f.l. Francisco da Cunha Gago e Ana das Neves de Moraes, padr.: Miguel Fragoso de Mattos e Antonio Lopes de Miranda.

3-2-3-6-2 Angelo Antonio em Guarulhos em 26-02-1767 casou com Ana Maria do Prado, filha de João do Prado Raposo e Maria Pires de Pontes, neta paterna de Tomas Gago Raposo e Margarida de Siqueira, neta materna de Bento Pires de Moraes e Ana Domingues de Pontes

Guarulhos, SP Igreja N. Sra da Conceição matr. aos 26-02-1767 Angelo Antonio, f.l. Francisco Antonio já defunto, e Ana das Neves de Moraes da freg. de Mogi das Cruzes= cc Ana Maria do Prado, f.l. João do Prado Raposo e Maria Pires de Pontes nts desta. O noivo npaterno de Valerio de Mendonça e s/m Maria da Cunha nts de Mogi das Cruzes, nm Lourenço Correia e s/m Izabel de Godoy. A noiva npaterna de Tomas Gago Raposo e s/m Margarida de Siqueira, pela materna de Bento Pires de Moraes e Ana Domingues de Pontes.

3-2-3-7 Lourenço Correia de Moraes, 10 anos em 1714. Em 19-10-1743 casou com Teresa Rodrigues Machado, filha de Martinho Rodrigues e Joana Damasceno. Geração na família “Nunes de Pontes” Cap. 1º § 3.

Guarulhos, SP aos 19-10-1743 nesta igreja de N. Sra da Conceição Lourenço Correia de Lemos, f. Lourenço Correia de Lemos e Izabel Correia = cc Teresa Rodrigues Machado, f. Martinho Rodrigues e Joana Damasceno,

3-2-3-8 Salvador, com 8 anos em 1714, último filho de Lourenço Correia de Lemos e Izabel Correia de Moraes.

3-2-4 Maria Fragoso de Mattos (ou de Moraes) casou com Antonio da Motta Cavalcanti inventariado em Mogi das Cruzes aos 09-12-1696. Compareceram seis filhos do casal:

Departamento do Arquivo do Estado de São Paulo

Inventários e Testamentos não publicados

Inventarios de Mogi das Cruzes-SP: 2º Cartório

Pesq.: Fabricio Gerin e Bartyra Sette

Inventariado Antonio da Motta Cavalcante

Autos 09-12-1696

Declarante: a viuva Maria Fragoso de Mattos.

Filhos:

machos: Basco da Mota = Antonio = Miguel

femeas: Maria = Catarina = Ana.

3-2-4-1 Maria da Motta de Moraes casou duas vezes. Primeira vez com Domingos da Cunha Carassa sepultado em 13-04-1704 em Mogi das Cruzes onde foi inventariado em 10 de dezembro do mesmo ano. Geração de quatro filhos na família “Manoel da Cunha”.

Paroquia de Sant'Ana de Mogi ds Cruzes-SP, aos 13-04-1704 se enterrou Domingos da Cunha de Carassa, morreu abintestado.

Maria da Motta de Moraes casou segunda vez com João Machado de Lima, filho de outro e Izabel da Cunha. Maria faleceu em 23-12-1751, e foi inventariada em 17-01-1752, (inventário SAESP não publicadosneste site). Geração na família “Jose de Bulhões”.

3-2-4-2 Vasco de Moraes Cavalcante (ou da Motta e Moraes) casou com Ana de Moraes Leite (ou Ana de Oliveira) citada tambem como Teresa Leite do Prado). Entre seus filhos:

3-2-4-2-4 Francisca Leite de Moraes em 1746, viúva de Manoel Velho Rangel, requereu dispensa para se casar com o Sargento-mor Francisco Barboza de Lima, viúvo de Maria de Andrade e filho de Gaspar João Barreto e de sua mulher Maria de Lima, família "Barboza Lima".

3-2-4-2-5 Gregorio Leite de Moraes casou duas vezes. Primeira vez em 1724 em Mogi das Cruzes com Helena da Silva. Segunda vez aos 25-06-1739 casou com Angela de Góes (ou da Silva) filha de Tomé de Góes da Silva e Maria da Apresentação de Abreu. Geração na família “Antonio Alvares Couceiro” § 2.

3-2-4-3 Antonio da Motta casou com Catarina da Cunha, filha de Jose da Cunha Lobo e Maria Fragoso de Mattos. Antonio da foi inventariado em Mogi das Cruzes em 1696, família “Domingos de Goes”.

3-2-4-4 Catarina da Motta Lira casou duas vezes. Foi a segunda mulher de Valerio de Mendonça Gago, falecido em 11-03-1727 e inventariado por Catarina em 4 de julho do mesmo ano. Valério, filho de Domingos de Góes de Mendonça e Mariana da Cunha, foi casado primeira vez com Maria Vaz Moniz. Sem geração do segundo matrimônio teve seis filhos do primeiro descritos na família “Domingos de Góes”

          Em 23-02-1741 Catarina tirou dispensa do impedimento de afinidade lícita para se casar com Manoel Rodrigues, natural de Jacarei, filho de Manoel Rodrigues e de Mecia Nunes Paes - família supra citada.

3-2-4-5 Ana, batizada em 15-10-1691.

Paroquia de Sant'Ana de Mogi das Cruzes-SP, aos 15-10-1691 Ana f Antonio da Motta Cavalcante e Maria Fragoza, padr.: Tome Moreira e Catarina Vieira

3-2-4-6 Miguel em 05-03-1694.

Paroquia de Sant'Ana de Mogi das Cruzes-SP, aos 05-03-1694 Miguel f. Antonio da Motta Cavalcante e Maria Fragosa, padr.: Jose Preto e D. Maria da Luz.

3-3 Izabel Correia mulher de João Baruel (SL. 8, 367, 2-4)

3-4 Catarina Correia, batizada em junho de 1650. Casou com Diogo Aires Daguirre.

SP, SP Igreja N Sra da Assunção aos -- de junho de 1650 bat a Catarina, f.l. Lourenço Correia e Rufina de Moraes, foram padr.: Sebastião de Freitas e Maria da Cunha.

3-5 Maria de Moraes mulher de João Martins (SL. 7, 276, 2-2)

http://www.projetocompartilhar.org/Familia/JoseCorreiadeLemos.htm

 


PROJETO COMPARTILHAR

Coordenação: Bartyra Sette e Regina Moraes Junqueira

www.projetocompartilhar.org

SL. 7º, 137, 3-2;Maria de Moraes, f.a de 2-5, fal. em 1700 em São Paulo, habilitou-se à herança de seu tio o Capitão-mor Antônio Ribeiro de Moraes em 1686, estando C.c. Francisco Corrêa de Lemos, natural da capitania do Espírito Santo, fal. em 1697 com testamento em S. Paulo, f.o de Jose Corrêa de Lemos e de Francisca de Lyra. Teve (C. O. de São Paulo) 7 filhos 4.1 a 4-7

Subsídios à Genealogia Paulistana (Bartyra Sette)

Francisco Correia de Lemos, inventariado em 1700 foi casado com Maria de Moraes, falecida em 12-8-1700.

Deixou os sete filhos descritos na GP.

Acrescente-se as informações:

4-5 Manoel Correia de Lemos, inventariado em 1693 (SAESP vol. 23º, neste site).

4-6 Maria da Luz de Lemos casada com Estevão Barboza Sotto Maior, já falecido em 1697.

Por 1697 andavam os filhos de Francisco Correia nas minas à cata de ouro.

FRANCISCO Correia DE LEMOS

Inventário e Testamento

anexo o de MARIA DE MORAES

SAESP - Vol 24, fls 401 a 466

Data: 2-1-1700

Local : vila de São Paulo, em pousadas do defunto

Juiz dos Órfãos: Capitão Paulo da Fonseca Bueno.

Escrivão dos Órfãos: Jeronymo Pedroso de Oliveira.

Avaliadores: Manuel Cardozo de Azevedo e Domingos Rodrigues Moreira.

Declarante: a viuva. Assinou por ela seu filho Luiz Correia de Lemos.

Título dos herdeiros.

- Francisco Correia de Lemos, casado.

- Manuel Correia de Lemos, defunto, seus herdeiros.

- Jose Correia de Moraes, casado.

- Luiz Correia de Lemos, solteiro.

-João (sic) Correia de Lemos

-Catharina de Lemos.

TESTAMENTO

Em nome da Santíssima (...).

Aos quatorze do mes de agosto de mil e seiscentos e noventa e sete, eu, Francisco Correia de Lemos, estando doente de cama, faço este meu testamento.

Encomenda a alma.

Rogo a meu filho Francisco Correia de Lemos e a minha mulher Maria de Moraes queiram ser meus testamenteiros.

Meu corpo será sepultado na capela da Ordem Terceira de Nossa Senhora do Carmo como irmão que sou.

Deixa missas.

Declaro que sou natural da capitania do Espirito Santo, filho legitimo de Jose Correia de Lemos e de sua mulher Francisca de Lyra, casado nesta vila de São Paulo com Maria de Moraes, do qual matrimonio tive cinco filhos e duas filhas, os quais são meus legítimos herdeiros.

Declara bens, entre eles um sitio na paragem Piquiri, outro em Tayassupeba.

Declara dividas, esmolas.

Deixo por esmola a uma moça, que se criou em casa por nome Izabel duas novilhas; e sendo caso voltando meus filhos das Minas e trouxerem até cem oitavas de ouro se lhe dará a mesma moça vinte oitavas de esmola pelo muito que sempre mereceu, assim a mim como  a toda a casa.

Deixo a uma moça bastarda por nome Maria forra, e livre pelos serviços que sempre me fez.

Declaro que não faço especial menção da liberdade da moça Izabel por saberem meus filhos mui bem a obrigação, que para com ela lhes corre.

Declaro que tenho pago de minha fazenda 150$000 réis de dividas que devia meu genro Estevão Barboza Sotto Mayor que Deus haja para o que se haverão meus herdeiros como for razão.

O remanescente de minha terça deixo a minha mulher.

Francisco Correia de Lemos.

Aprovação: 16-8-1697

Cumpra-se como nele se contem. São Paulo 23 de agosto de 697. Tinoco.

Recibos.

Avaliações, dividas que se deve a esta fazenda, dividas que esta fazenda deve,

Monte mor liquido 268$006

- cabe a viúva 134$003

- terça: 44$667

- 89$336 para partir por 6 herdeiros.

Procurador ad lidem  da viuva:a Luiz Porrate Penedo.

Citados:

a viúva deste inventário e a seu procurador Luiz Porrate Penedo.

Ao Capitão Salvador de Oliveira, curador de seus sobrinhos órfãos. e a

- Francisco Correia de Lemos;

- Jose Correia de Moraes

- Luiz Correia de Lemos;

- Simão Correia de Lemos

- a órfã Catharina de Lemos.

Maria de Moraes curadora de sua filha órfã Catharina Correia.

Requerimento de Salvador de Oliveira como curador e tutor dos órfãos que ficaram de Manuel Correia de Lemos, que Deus haja.

______________________________________________________________________________________

MARIA DE MOAES

Inventário

SAESP - Vol 24, fls 4423 a 466

Autos de Inventário.

Data: 7-1-1711

Local: vila de São Paulo

Juiz dos órfãos: Capitão Governador Manuel Bueno da Fonseca

Escrivão dos órfãos: Jeronymo de Faria Marinho.

Inventariante: Alferes Luiz Correia de Lemos.

Avaliadores: Diogo Alves Pestana e Manuel Caminha.

Foi dito pelo inventariante que ficaram cinco filhos a saber:

- Capitão Francisco Correia, casado

- Capitão Jose Correia, casado

- Simão Correia, casado

- Alferes Luiz Correia, casado

- Catharina de Lemos, viúva (sic)

e os órfãos herdeiros, netos legítimos da dita defunta Maria de Moraes os quais são filhos de Manuel Correia de Lemos que são dois a saber: - Manuel, de idade 19 anos e - Maria, de idade de 18 anos pouco mais ou menos.

- e os órfãos filhos de Estevão Barboza e Maria da Luz de Lemos que também são netos herdeiros da dita defunta, os quais são três  a saber: João de idade de 14 anos, Francisco de 12, Francisca de 10 anos, todos mais ou menos.

Que a dita defunta falecera aos doze dias do mes e agosto de mil e setecentos e que fizera testamento o qual logo apresentava em juízo.

fls. 425: Capitão Salvador de Oliveira curador dos órfãos.

Avaliações.

(entra elas)

- uma morada de casas que foram do Capitão Antonio Ribeiro de Moraes na rua do reverendo Padre Manuel Lopes Cardozo. /e sobre as ditas casas tem corrido pleito e os herdeiros do dito defunto Antonio Ribeiro de Moraes tem alcançado sentença a seu favor no pleito que haviam sobre as ditas casas e por serem quatro as cabeças a quem pertencem as ditas casas cabe a cada parte 100$000 réos e pertence a este inventário uma destas partes.

Dividas que esta fazenda deve

(entre elas)

- a Maria Bueno, dona viuva que ficou do capitão Balthazar da Costa Veiga .

- deve, como consta do inventário de seu pai, as legitimas dos herdeiros.

- deve de dote que se prometeu a Domingos Correia um hábito de serafina,

- ao capitão Francisco Correia de Lemos.

- ao Capitão João de Godoy Moreira.

- idem mais uma peça que lhe prometeram de dote.

Declarou mais o inventariante que esta fazenda tem um lugar de sitio dentro das terras do defunto o Capitão Diogo Bueno que Deus haja, na paragem Porto Grande, e como ha pleito sobre o dito lugar se lançou por declaração até liquidar-se.

Determinação da partilha: 12-1-1711

Inventário que se fez por morte de Maria de Moraes, do qual constou haver falecido com testamento, e deixou a sua terça depois de cumpridos os seus legados a sua neta Francisca de Moraes.

fls. 458 e seguintes: dinheiro dado a ganhos dos órfãos do capitão Manuel Correia de Lemos.

Aos 29-9-1715  o Capitão Sebastião Borges da Silva tomou a ganhos a quantia de 36$740 réis e apresentou por seu fiador a Luiz Teixeira de Azevedo.

Aos 18-11-1725 o ajudante Luiz Teixeira de Azevedo pagou neste inventário como fiador e principal pagador do Capitão Sebastião Borges da Silva, que Deus haja, o principal e juros no  total de 60$000 réis.

fls. 465 15-9-1726 quitação que da Theodozio Domingues por cabeça de sua  mulher Maria de Moraes.

fls. 466- quitação que dá Manuel Correia de Lemos aos 2-1-1727 que tocaram ao dito neste inventário em sua folha de partilhas de sua herança.

http://www.projetocompartilhar.org/SAESPp/franciscoCorreiadelemos1697mariademoraes1700.htm


 

INÍCIO      BIBLIOGRAFIA     LINK     ÍNDICE     INVENTÁRIOS     OUTROS     PESQUISA NO SITE