Casamento:

Joaquim Ribeiro Pinto de Mattos

Catharina Ribeiro de Lirio

  • Proprietário da Fazenda Santa Juanna, localizada entre Barra do Riacho-ES e Vila do Riacho-ES. (Região onde estava localizada a sesmaria de Manuel Correia de Lemos)


  • Em sua residência D.Pedro II pernoitou, em 1860 - [14] 
  • Padrinho de casamento em 30/7/1871 Riacho - ES, livro 6 [45] 
  • 40 anos em 1847, casado e em 15/4/1878 estava com 71 anos, viúvo, fazendeiro (Fazenda Stª.Juana), renda de 3$000Réis, lavrava cana.
  • Faleceu às 4h da tarde de 01/10/1880, com testamento feito em 1878 na Serra - ES, lacrado com 5 pontos, lacre de cor encarnado sendo o inventariante seu filho Luiz Ribeiro Pinto de Mattos, com 28 anos, por desistência do irmão mais velho Manoel Pinto Ribeiro de Mattos, 50 anos). [67]  
  • Recebeu como dote o valor de 533$400, pelo casamento, conforme processo de inventário de falecimento do seu sogro, arquivado na caixa 12 maço 8 de 1840 [65]
  • Natural da Vila da Serra-ES, conforme testamento abaixo.
  • Produtor de Açucar e Aguardente.

Livro de Notas 1 folha 7 Cartório de Riacho - ES (Catharina Maria de Lyrio) folha 52 -13. 

 

Madrinha de Candida - batizada no dia 13/02/1881








Filhos e seus respectivos descendentes:

  1. Manoel Pinto Ribeiro de Mattos c.c. Maria Constantina Gomes, filha natural de Maria Felicidade Gomes [36] pag. 101,
    Casaram-se no dia 12/07/1907, oficializaram o casamento que viviam amaziados a 30 anos?, elle estava com 59 anos de idade, natural da Serra-ES e morador na Vila do Riacho-ES a 53 anos e ela com 40 anos de idade
    Testemunhas do casamento: Jose Pinto Ribeiro de Mattos e Francisco Pinto Ribeiro

    [Registro: BarradoRiacho-C-04.1874(1868)-09.1907- página:
    50 anos em 1880, não aceitou ser o inventariante dos bens de seu pai. Juiz de Paz, conforme registro no Livro de Notas nº1, folha 9. Registro de batismo folha 6 batismo 96.
    Padrinho com D. Anna Maria da Conceição (sua irmã) em 07-02-1858 b~36 [23].
    Em 1863 b~(batismo)48 [23] com D. Francisca Pinta da Conceição (prima?).
    Padrinho de casamento de índios em FEV-1862 (assinatura) [45] pag. 106.
    Em 15-4-1878, 41 anos, solteiro, negociante de molhados, na Barra do Riacho-ES [59].

    pais de:
    1. Franklin (natural) b~ (batismo) página 101 em 18/1/1885 [36]
      Padrinho: Luiz Ribeiro Pinto de Mattos
      Faleceu em 4/11/1889, com 4 anos de idade, conforme registro no Livro de óbitos 01, pag. 24, da Vila do Riacho-ES.

    2. Anizio Pinto Ribeiro de Mattos c.c. Thereza da Costa Abreu, filha de Manoel da Costa Abreu e Maria (cujo cognome se ignora)
      pais de:
      1. Esmerentina, faleceu em 08-08-1897, conforme livro de óbitos folha 40, registro 45

      2. Jovelina faleceu em 30-08-1899, conforme livro de óbitos folha 55, registro 39

    3. Eulália

    4. Maria Mattos Banhos c.c. Manoel Banhos Sobrinho, filho de Selendra Maria Monteiro
      Pais de:
      1. Valdivino, nascido em 27/2/1906 Folha 131, batismo 31

    5. Vitória Mattos c.c. Marcellino Francisco Bandeira, filho de Marcellino Alves de Oliveira e Luisa Souza Oliveira,
      pais de:
      1. Mariana, nascida em 13-6-1895 F. 9 ~43

      2. Isaldina, * 28-7-1902 f.81 - 89

    6. Elizia Ribeiro de Mattos casada em 1ª núpcias com seu primo de 1º grau Luiz Mattos Sobrinho, já falecido em 26-4-1905, filho de Jose Ribeiro Pinto de Mattos e Anastácia Maria (Pinto) Barboza,
      pais de:
      1. Helizio, nasceu em 24-8-1896, conforme batismo folha 26.
        Faleceu em 26/4/1905 - livro de óbitos nº1, folha 143, da Vila do Riacho-ES. Compareceu: Ernesto Manoel Mesquita

      2. Luiz, nasceu em 25-7-1897 ~F. 25

      3. Osvaldina *15-7-1898 F. 62 ~91

      4. Luiza n*01-8-1901 pag. 80 b~81 no dia 24/09/1902
        (Batizada no horatório particular da fazenda de Manoel Pinto de Mattos)


    7. Elizia Ribeiro de Mattos casada em 2ª núpcias com Ernesto Manoel Mesquita, filho de João Manoel Mesquita e Maria Rosa Mesquita, neto paterno de Luiz Manoel Mesquita e Maria Preciosa e neto materno de Francisco Poncidonio de Amorim e Lydia Josephina de Azevedo,
      pais de:
      1. Aurora, nasceu em 11-2-1905, conforme registro de batismo folha 131, da Vila do Riacho-ES

  2. Jose Ribeiro Pinto de Mattos, 48 anos em 1880. Registros no Livro de Notas nº3 folha 49 e L.N. nº5 f.35 em 12-12-1896. Nasceu em 1843, Faleceu em 03/12/1908, conforme registro no livro de óbitos nº 1, da Vila do Riacho, folha 151, com 65 anos. Em 15-4-1878 estava com 39 anos, solteiro, renda de 500$, lavrava mandioca, Barra do Riacho-ES [59], casado com Anastácia Maria (Pinto) Barboza,
    pais de:
    1. Luiz Mattos Sobrinho, já falecido em 26-4-1905, casado com sua prima de 1º grau Elizia Ribeiro de Mattos, filha de Manoel Pinto Ribeiro de Mattos e Constantina Maria Gomes, pais de:
      1. ver filhos cadastrados acima

    2. Maria Pinto Ribeiro Itaparica c.c. Ignácio Pereira da Silva Itaparica, filho de Jose Pereira da Silva Taparica e Luiza Maria da Conceição, ambos já falecidos em 02-7-1882,
      pais de:
      1. Mizael b~pag.76 02-7-1882 n*16-12-1881 [35]

      2. Arthur b~88 pag.01 [36] 18-11-1883 n* 03-6-1883.
        Padrinhos: Bazilio Emilio dos Santos Leal e sua mulher Maria Magdalena de Jesus Leal

    3. Jose de Mattos c.c. Eliza, filha de Manuel (Gonçalves) Barboza(ver: Livro de óbitos nº1, folha 45) e Maria Jacinta da Silva,
      pais de:
      1. Zulis b~89 05-9-1900 pag.61

  3. Jose Ribeiro Pinto de Mattos casou-se em 2ª núpcias com Candida Maria do Rozário, filha de Manoel Francisco da Victoria e Maria da Conceição
    Oficializaram o casamento em 1906, quando ele estava com 58 anos de idade e ela com 345 anos de idade,
    conforme registro: [BarradoRiacho-C-04.1874(1868)-09.1907- página 208]

    pais de:
    1. Maria de Mattos c.c. Jose Nicolau Nemes, filho de Jose Nemes e Maria Nemes,
      pais de:
      1. Luisa n* 09-7-1900 pag.81 b 91

      2. Salvador n* 19-12-1901 pag. 80 b~ 82, no dia 24/09/1902


    2. Rufina Ribeiro de Mattos c.c. Alexandre Jose dos Santos, filho de Manuel (Gonçalves) Barboza(ver: Livro de óbitos nº1, folha 45) e Maria Jacinta da Silva,
      pais de:
      1. Siolino b~ 08-12-1896 pag. 26

    3. Lora

    4. Aldecia de Mattos

  4. Francisco Ribeiro Pinto de Mattos, 46 anos em 1880. Compareceu no registro de óbito de sua mulher. Em 15-4-1878, 30 anos, casado, renda de 500$, lavrava mandioca, Sahy-ES [59] casado com Rita Pinta Ribeiro (Maria da Conceicão), faleceu em 09/4/1890, conforme Livro de registro de óbitos nº 1, folha 103, da Vila do Riacho-ES, filha natural de Luiza Pinto Ribeiro, pais de:
    1. Francisco Pinto de Mattos Filho c.c. Eliza Pinto da Roza de Mattos, filha de Jose Pinto da Rosa e Urçula Pinto (Urçula Maria da Conceição),
      pais de:
      1. Dorvelino b~89 02-8-1896 pag. 17

      2. Josenita b~21 03-10-1900 pag. 73

      3. Alvina b~63 10-12-1902 pag. 93

      4. Arceda b~ 37 12-11-1905 pag. 131

    2. Jose de Mattos Sobrinho c.c. Cecilina da Silva Mattos, filha de Francisco Pedro da Silva e Anna da Conceição Silva,
      pais de:
      1. Almiro b~23 04-3-1906 pag. 143

    3. Felisprina da Conceição,
      mâe de:
      1. Ozório b~ 10-5-1901 pag. 95, padrinhos: Manoel Francisco de Moraes e Guilhermina da Conceição de Moraes

    4. Victoria b~pag 100 18-1-1885 n*20-4-1883 [36]

    5. Antonio b~pag 99 18-01-1885 n*30-8-1884 [36]

  5. Luiz Ribeiro Pinto de Mattos c.c. Francisca Maria Pimentel


  6. Maria Pinto da Conceição [23] Madrinha com seu irmão Luiz Ribeiro, conforme folha 91 batismos 47 e 48 do livro de batismo da Vila do Riacho-ES. faleceu em 05-6-1900, conforme livro de óbito nº 1 folha 126 da Vila do Riacho, compareu o genro: Manoel Gonçalves Vieira.
    Maria Pinto da Conceição
    casou-se em 03-05-1857, página 83 [45] fregueses da Paróchia de Santa Crruz-ES, com Antonio Pinto Machado, filho de Jose de Barcelos Machado e Francisca Pereira das Neves,


    pais de:
    1. Jose Pinto Machado ~ 85 [23] 08-8-1858 c.c. Raquel de Alvarenga Machado, filha de Pedro Alvarenga e Maria Coutinho Alvarenga,
      pais de:
      1. Antonio * 03-6-1902 F. 87 ~ 20

    2. Catharina b~84 07-8-1859 [23]

    3. Antonio ~103 16-6-1861 [23]

  7. Anna Ribeiro Pinto de Mattos c.c. Manoel Guilherme de Souza e Silva



  8. Victória Ribeiro Pinto de Mattos (Tia Toca), 24 annos em 1880, casou-se com Simão Machado Bittencourt Mello, natural de San ta Cruz, filho de Antonio Machado Bittencourt Mello e Izabel Delfina da Conceição
    Casaram-se no dia 13/02/1881, pelas 8 horas e quarto da manhã na Igreja Matriz de São Benedito de Riacho
    Testemunhas: Tenente Coronel Luiz da Rosa Loureiro e Jose Carlos Pereira Gabiroba

    [Registro: BarradoRiacho-C-04.1874(1868)-09.1907- página: 36]

    pais de:
    1. filha que casou-se com Afonso de Oliveira

.


 
TíTULO DOS HERDEIROS
(terceira página do inventário)



Título dos Herdeiros



  Filhos


O testamenteiro e inventa

riante=


Luiz Ribeiro Pinto de Mat

tos
- 28 annos de idade

Manoel Pinto Ribeiro de

Mattos
- 50 annos de idade


Jose Ribeiro Pinto de Mattos

48 annos de idade


Francisco Ribeiro Pinto de

Mattos
- 46 annos de idade

Victoria Ribeiro Pinto de

Mattos
- 24 annos de idade


Antonio Pinto Machado

por cabeça de sua Mulher

D. Maria Pinto da Conceição

Machado


Manoel Rodrigues de Souza e Silva

por cabeça de sua Mulher

D. Anna Ribeira Pinto da Silva


Jose Faustino Lopes por ca

beça de sua Mulher D. Fran-

cisca Ribeira Pinto Lopes



   Netos signatários

Francisco 8 annos de idade

Luiza       7 annos de idade

Jose        5 annos de idade

Todos filhos do herdeiro Jose

Faustino Lopes


(assinado)
Luiz Ribeiro Pinto de Mattos

 


Termo de Declaração dos Louvados



As assinaturas acima constam no processo de inventário do falecimento de 
Joaquim Ribeiro Pinto de Mattos, em Outubro de 1880:
- As tres primeiras são respectivamente do Juiz e os dois avaliadores dos bens (Luiz da Roza Loureiro e Antonio Gomes Pereira).
Os herdeiros:
- Luiz Ribeiro Pinto de Mattos, filho, 28 anos em 1880, inventariante, recebeu 100$000 para despesas.
- Manoel Pinto Ribeiro de Mattos, filho, 50 anos em 1880, não aceitou ser o inventariante.
- Manoel Rodrigues de Souza e Silva casado com Anna Ribeiro Pinto (filha)
- Francisco Ribeiro Pinto de Mattos, filho, 46 anos em 1880.
- Antonio Pinto Machado casado com Maria Pinto da Conceição (filha) 
- Jose Ribeiro Pinto de Mattos, filho, 48 anos em 1880.
- Victória Ribeiro Pinto de Mattos, filha, 24 annos em 1880.
- A última assinatura é do meu tetravô Joaquim Carlos Pereira (bisavô do meu avô Otto Netto),
que assinou a rôgo do coherdeiro Jose Faustino Lopes casado com Francisca Ribeiro Pinto de Mattos (filha)



Casa construida por Joaquim Ribeiro Pinto de Mattos, antes de 1860. Nesta foto, casa já abandonada, após a venda para a empresa Aracruz Florestal.
A mesma casa acima em estado de abandono mais avançado. Atualmente (ano de 2000) só existem ruínas.



Reprodução, idéia, de como estava esta casa quando visitada pelo Imperador do Brasil, Dom Pedro II, em 1860.
A descrição do Imperador foi a seguinte, conforme o seu próprio manuscrito:
(Inicialmente o Imperador falava do vento freco de Santa Cruz, antes de atravessar o Rio)

Anotações feitas por D. Pedro II logo após atravessar o rio de Santa Cruz, viajando em direção à Lagoa Juparanã

do vento fresco. Parece mais fres

co do que a Vila da Serra onde on

tem senti calor horrível; também es     
 
tá quase a beira do mar.


       Acentune ---   Beijo
       
      Temiminó  ---   Neto

      Tuiúca       ---   Lama       Câma        ---   Peito de mulher

                     Tarde


Saída às 3 1/2 h, atravessei o rio

em escaler o Apa e as 4 me

nos 10 já seguia viagem a cavalo.

Foi quase toda pela praia que, es


tando a maré baixa facultava a

marcha dos cavalos sendo o meu

muito bom marchador - já não é

do Motta. A praia antes do ria

cho Sahué que só em maré baixa

dá vão parece-se com a d'Ita


púca por causa das


pedras, e muitas saudades me fez.


Depois vem os riachos Tacipeva,


Timbotiba, e Saí onde há vão

em vazante; encontrei ali o Mat

tos dono da casa do Riacho on

de me hospedo; é falador mas pa

rece bom homem; nunca saiu

quase de seu sítio o que não ad

mira em um Capixaba. 5h.


Riachos Piranema, água-Boa e o Minhoca, cu

ja sahída quase que só tinha areia.


Logo depois tomei à

esquerda por dentro sempre ou

vindo a pancada do mar; às 5 3/4 h

avistei a barra do riacho depois de


ter visto pouco antes a casa de sapê

toda arruinada de um fulano Fu

so onde se hospedou o Pedreira

segundo disse o Mattos. 6h chego

a casa do Mattos de sobrado e

sofrível no alto de uma co

lina verde de onde domina o Ria

cho que lhe corre perto; a vista

não é feia.

Achei aqui o capitão Andrade

Ver anotações feitas por D. Pedro II na passagem por Santa Cruz


Declaração de Luiz Ribeiro Pinto de Mattos - Filho e Inventariante no processo de inventário dos bens que ficaram por falecimento de Joaquim Ribeiro Pinto de Mattos




   Ilustríssimo Senhor Dr. Juiz da Provedoria












Diz Luiz Ribeiro Pinto de Mattos que tendo


fallecido seu pai Joaquim Ribeiro Pinto de

Mattos, que elle suplicante apesar de não ser o filho

mais velho, é quem ficou de posse de todos


os bens por ser elle quem estava na adminis


tração da casa de seu finado pai, assim co


mo testamenteiro por substituição do 1º testa

menteiro seu irmão Manoel Ribeiro Pinto

de Mattos; e, querendo o suplicante que se proce


da o inventário dos mesmos bens, para se


dar em partilha o que a cada um dos her

deiros legitimamente pertencer; por isso ...

verso da folha:
                                                     



























Santa Cruz 18 de Outubro de 1880       


Luiz Ribeiro Pinto de Mattos

Testamento de Joaquim Ribeiro Pinto de Mattos -1880

Página_01
Pública Forma - Jesus, Maria, Jose. Em nome da Santissima Trindade, Padre, Filho, Espírito Santo, em que eu Joaquim Ribeiro Pinto de Mattos firmemente creio e em cuja fé protesto viver e morrer. Este meu testamento, e última vontade. Declaro que sou natural desta Cidade da Serra, filho legítimo de Jose_de_Mattos_Soeiro_e_de_Anna_Maria_da_Conceição, ambos falecidos, e que fui cazado afacil eclesiástica com D. Catharina Pinto Ribeiro de Mattos, já falecida, e desse matrimônio existem vivos oito filhos que são: Manoel, Francisco, Jose, Luiz, Maria, Anna, Francisca e Victória, os quais são meus legítimos herdeiros dos bens que possuo. A mim pertence a terça parte desses bens e da qual disponho pela seguinte maneira: Mando que por minha alma se diga uma capella de missa e outra capella de missa por alma de minha mulher. Declaro que devo aos meus filhos Luiz e Victória a quantia de quinhentos mil réis a cada um d´elles pelo que lhes deixo em minha terça a casa de rezidência que possuo na Fazenda do Riacho para esse pagamento e o mais que por ventura posso acrescer será tirado da dita minha terça e pertencerá aos meus dois ditos filhos. Instituo por herdeiro de minha terça
Página_02
aos meus filhos Manoel, Francisco, Jose, Luiz e Victória, bem como aos meus netos e afilhados, filhos de Jose Faustino Lopes, isto depois de tirada as quantias que devo aos meus filhos Luiz e Victória, como já desse. Nomeio meus testamenteiros em primeiro lugar ao meu filho Manoel Ribeiro Pinto de Mattos em segundo ao meu filho Luiz_Ribeiro_Pinto_de_Mattos, e em terceiro ao meu filho Francisco Ribeiro Pinto de Mattos, estes por serviço de Deus e me fazerem mercê, queirão ser meus testamenteiros e aquelle que aceitar a testamentaria lhes deixo de prêmio, para sua conta e trabalho a quantia de cem mil réis e o tempo de um anno para dar conta em juizo. Esta a minha última e derradeira vontade e disposição para depois de minha morte e por este testamento revogo qualquer outro. E por me custar escrever pedi a Jose Nunes Barboza, este por mim escrevesse em que assignei por estar em tudo conforme= Serra dois de Janeiro de mil oitocentos e setenta e oito. Joaquim Ribeiro Pinto de Mattos. Approvação - Saibão quantos este instrumento de aprovação de testamento virem que no anno do Nascimento de Nosso Senhor Jesus Christo de mil oitocentos
Página_03
e setenta e oito aos dois de janeiro do dito anno, nesta Cidade da Serra em meu cartório appareceu Joaquim Ribeiro Pinto de Mattos o qual é de mim reconhecido pelo próprio de que dou fé e por elle perante as testemunhas no fim deste assignadas perante ellas o dito Pinto de Mattos me entregou este papel fechado e assignado dizendo-me ser o seu testamento escripto por Jose Nunes Barboza e assignado por elle testador, o qual eu Tabelião tomei da sua mão e achei não ter borrão, emenda, entre linhas nem cousa que dúvida faça, e a elle testador perguntei se era este o seu testamento e se o dá por bem firme e valiozo ao que respondeu-me que com effeito era o seu testamento e que o dá por bem firme e valiozo e bom e que por esse me pedio este instrumento de approvação o qual eu fiz principiando a approvação logo depois de escriptp de duas laudas do dito testamento como se vê e approvo e dei por approvado tanto quanto devo por bem do meu offício e Decreto judicial rubricando-o e todas suas laudas em meu appellido de Nunes e fica fechado e lacrado com tres pingas de lacre por banda sendo presente as testemunhas= Jose Ribeiro da Silva-
Página_04
primeiro Vicente_Ferreira_de_Machado, Manoel Ribeiro Pinto da Silva, Luiz da Fraga Loureiro Pinto e Joaquim Jose de Santa Anna Barboza, que reconhecera ser o testador o próprio de que dou fé. E para constar fiz este auto de approvação em que assigna o testador com os referi##das testemunhas, digo com as referidas testemunhas. Eu Jozé Nunes Barboza, Tabelião que escrevo e assigno em público razo. Estava com o signal público em testemunha da verdade= Jozé Nunes Barboza, Joaquim Ribeiro Pinto de Mattos= Jose Ribeiro da Silva= Vicente Ferreira Machado = Manoel Ribeiro Pinto da Silva = Luiz da Fraga Loureiro Pinto = Joaquim Jozé de Santa Anna Barboza =Despacho= Cumpre-se e registrar-se. Santa Cruz, 1º de Outubro de 1880. Jose Elysio. Termo_de_abertura. Ao primeiro dia do mez de Outubro de mil oitocentos e oitenta nesta Villa de Santa Cruz, em a casa de residência do Doutor Jose Elysio de Carvalho Couto, actual Juiz Municipal e da Provedoria deste Termo aonde fui vindo eu escrivão abaixo nomeado as sete horas da noite ali pelo Cidadão Luiz Ribeiro Pinto de Mattos, em presença das testemunhas João Alves da Motta e Inacio
Página_05
Ignacio Pereira da Silva foi apresentado ao dito Juiz às horas supra declaradas o testamento com que havia fallecido Joaquim Ribeiro Pinto de Mattos, pai do apresentante, natural da Cidade da Serra, residente na Freguesia de Riacho, deste Termo que fallecera as quatro horas da tarde deste mesmo dia naquella mesma Freguesia cujo testamento foi entregue a elle apresentado pelo mesmo testador antes de sua morte o qual testamento apresentado estava entacto, cosido com cinco pontos e sobre elles lacrado com lacre de cor encarnado. O dito Juiz em presença do dito apresentante e das testemunhas já referidas tendo por fora do mesmo testamento a subscripta contando os pontos rompeo ao lacre e abrio o presente testamento e depois de examina-lo internamente ordenou a mim escrivão que fisesse a leitura, finda esta e não se achando melle imenda. rasuras, borrão, rasgaduras dentro nem fora ou qualquer outro defeito nelle pois o ser respeitao cumpra-se a mandar lavrar este termo que assinou com o apresentante e as duas testemunhas. E eu João Moreira de Carvalho escrivão que o escrevi = Jose Elysio = Luiz Ribeiro Pinto de Mattos = João Alves
Página_06
da Motta = Ignacio Pereira da Silva. Conclusão. E logo faço este testamento concluso ao Juiz da Provedoria, Doutor Jose Elysio de Carvalho Couto. Eu João Moreira de Carvalho escrivão que escrevi. Despacho - Sejão intimados os testamenteiros na ordem que vão collocado para que um delles aceite digo delles declare-se aceita a testamentaria. Santa Cruz, 1º de Outtubro de 1880 = Jose Elysio. Data. Nos mesmos dias mes e anno supra declarados nesta Villa de Santa Cruz em meu cartório me forão estes autos entregues por parte do Juiz da Provedoria, Doutor Jose Elysio de Carvalho Couto escrivão que escrevo. Intimação. Certifico ter notificado por officio ao 1º testamenteiro Manoel Pinto Ribeiro de Mattos para vir acceitar ou desistir da testamentaria que ficou bem siente e dou fé. Santa Cruz, 7 de Outubro de 1880. O Escrivão. João Moreira de Carvalho. Juntação. Aos nove dias de Outubro de mil oitocentos e oitenta, nesta Villa de Santa Cruz em meu cartório juntei a estes autos a petição que adiante se segue. Eu João Moreira de Carvalho escrivão que escreve. Ilmº Snr. Doutor Juiz da Provedoria. Manoel Pinto Ribeiro de Mattos tendo sido notificado
Página_07

da petição retro e seu despacho a qual fica fazendo parte deste e de como disse assignou com as testemunhas presentes ao que dou fé. Eu João Moreira de Carvalho escrivão que escrevi. Manoel Pinto Ribeiro de Mattos = Jozé Pinto de Miranda e Sá = Jose Barboza Oliveira Pereira. Intimação. Certifico que notifiquei por officio ao segundo testamenteiro Luiz Ribeiro Pinto de Mattos para ao fim de vir aceitar a testamentaria visto não ter sido ella aceita pelo primeiro testamenteiro do que ficou bem siente e dou fé. Santa Cruz 9 de Outubro de 1880. O Escrivão João Moreira de Carvalho. Termo_de_aceitação_do_testamenteiro. Aos tress dias do mes de Outubro de mil oitocentos e oitenta, nesta Villa de Santa Cruz em meu cartório de mim escrivão abaixo nomeado ahi presente Doutor Jose Elysio de Carvalho Couto, actual Juiz da Provedoria deste termo compareceu Luiz_Ribeiro_Pinto_de_Mattos, filho do testador Joaquim Ribeiro Pinto de Mattos que reconheço ser o proprio do que dou fé e por elle me foi dito que vinha a juizo para na qualidade de segundo testamenteiro assignar

Página_08

termo de acceitação da testamentaria de seu finado pai visto não ter acceitado o primeiro testamenteiro Monoel Ribeiro Pinto de Mattos e disse ao juiz que aceitava a mesma testamentaria pelo que o juiz lhe deferio o juramento dos Santos Evangelhos e lhe encarregou que com boa san consciencia aceitasse a referida testamentaria cumprindo fielmente o testamento e todas as suas desposições. E sendo aceita por elle o dito juramento assim prometteu saptisfazer e cumprir do que fiz este termo que assignou com o juiz e as testemunhas presentes tambem abaixo assignadas, do que dou fé. Eu João Moreira de Carvalho escrivão que escrevi. Jose Elysio de Carvalho Couto = Luiz Ribeiro Pinto de Mattos = P. Jose Anyalone - João Nunes Pereira. Continha mil e duzentos de sello. Conclusão = E logo faça estes autos concluso ao Juiz da Provedoria Doutor Jose Elysio de Carvalho Couto. Eu João Moreira de Carvalho. Conclusão. Vista ao Dr. Promotor de Capella e residous e ao colletor geral. Santa Cruz 13 de Outubro de 1880. Jose Elysio. Data. Nos mesmos ditames e anno supra declarados.

Página_09

Provedoria. João Moreira de Carvalho. Era o que se continha em o testamento com que fallecera Joaquim Ribeiro Pinto de Mattos o qual reproduzo em publica forma cujo original fica arquivado em meu poder e cartório tendo do mesmo feito estrahir a presente copia autentica que depois de conferida e achar conforme subcrevo assigno em publico raso:. Nesta Villa de Santa Cruz 16 de Outubro de 1880. Eu João Moreira de Carvalho, escrivão da provedoria, ___________ e assigno em publico.

Assinaturas e Selos

Obs.: Conforme página 02, as filhas casadas, sem filhos, não fizeram parte do testamento.


CAPA DO INVENTáRIO

MóVEIS
(inventariados)

PAGíNA
DESCRIçãO DO BEM
VALOR
HERDEIRO
 Página_01






Página_02









Página_03








Página_04








Página_05









Página_06

Uma canoa de voga, paramentada
Uma dita de rio em mal estado
Um sofá arruinado
Uma cama de vinhático francesa
Uma dita madeira branca
Uma marqueza de jacarandá
Uma dita de madeira branca
Um aparador de jacarandá
Uma mesa de carnaúba
Quatro cadeiras de palinhas
Uma mesa de jacarandá com abas
Um espelho de sala (um espelho grande de sala 12$000)
Um par de moringas de vidro
Um par de castiçais de metal branco
Um baú grande de vinhático
Um dito menor de vinhático
Um lampião de sala
Dois quadros com estampas
Um relógio de parede antigo
Um espelho pequeno
Uma caixa de vinhático com moldura
Uma dita de vinhático simples
Uma pipa em bom uzo
Um ____
Um revólver em bom uzo
Uma espingarda de dois canos
Duzentas e cincoenta telhas
Um bau uzado
Um dito menor
Um dito ainda menor
Duas caldeiras de ferro em bom uzo
Duas ditas do dito arruinadas
Um alambique de cobre com carapussa e serpentina
Um dito arruinado
Uma bomba de campanha
Quatro caixões uzados
Dois ditos dito
Um dito em bom uzo
Vinte e sete caixas que servem de formas de purgar açucar e de deposito de ___
Um jogo de moendas de ferro e ______
Um carro de boi
Um dito em dito
Sete correntes de ferro
Nove cangas com chapas de ferro
Duas ditas sem chapa
Duas espumadeiras de cobre
Uma roda de fieira com bolinete e mais _____
Um forno de ferro arruinado
--------------------------------------------------------------------------------------------

Avaliação total dos móveis:

250$000
  10$000
  24$000
  30$000
  12$000
  18$000
    8$000
  10$000
  12$000
    8$000
    12$000
   5$000
    6$000
   12$000
   12$000
     8$000
     6$000
     6$000
     6$000
     8$000
     5$000
     3$000
     4$000
    25$000
    20$000
    14$000
      7$500
      8$000
      5$000
      2$500
   160$000
     80$000
   250$000
     54$000
     45$000
     24$000
     16$000
       4$000
     81$000
   400$000
     60$000
     60$000
     20$000
     18$000
       2$000
       6$000
      25$000
      15$000
-------------

  1.634$000

Manoel (comerciante)
Francisco
Luiz
Francisca c.c. Jose
Francisco
luiz
Jose
Francisco

Luiz
Luiz
Maria c.c Antonio
Luiz
Maria c.c Antonio
Francisco
Maria c.c Antonio
Francisco
Francisco
Luiz
Francisco
Jose
Francisco
Luiz
Manoel
Francisco
Francisco
Maria c.c Antonio
Luiz

Luiz
Luiz
Luiz
Luiz e Victória
Manoel
Luiz
Luiz
Luiz
Luiz
Jose
Luiz e Victória
Luiz
Jose
Luiz
luiz
Luiz
Francisco
o neto Francisco
o neto Jose


(Total dos móveis: Um conto seiscentos e trinta e quatro mil réis)

Através dos pagametos foi encontrado uma mesa pequena de jacarandá (5$000) que ficou para Maria c.c Antonio

Exemplos de alguns dos móveis supracitados


Aparador

Cama de vinhático

Marqueza de jacarandá

Marqueza de jacarandá

Moringa de vidro

Tina - Meia pipa

Sofa arruinado

Baú de madeira

Baú de vinhático

Baú de madeira

Baú de madeira

Baú de madeira

Mesa de jacarandá

Mesa de jacarandá

Mesa antiga

Cadeira de palinha

Lampião

Lampião

Lampião

Lampião

Lampião

Forno de ferro

Relógio de parede

Castiçais de metal branco

Alambique de cobre martelado

Moenda de ferro

Moenda de ferro

Roda com fieira e bolinete

Carro de boi

Carro de boi


Carro de boi

Carro de boi

Pipas de aguardente

Carro de boi

Canga de boi

Canga de boi


Espingarda
 

Revólver
 


Canoa de voga


SEMOVENTES (que se móvem)
(inventariados)

 

Página_01




Página_02








Página_03









Página_04









Página_05








Página_06









Página_07

 

Um boi de nome Voluntário de cor preta
Um boi de nome Alecrim, vermelho
Um boi de nome Marujo, vermelho
um boi de nome Labirinto, vermelho
Um boi de nome Barbante, preto
Um boi de nome Namorado, vermelho
Um boi de nome Baliza,vermelho
Um boi de nome Cadete, vermelho
Um boi de nome Laranja, vermelho
Um boi de nome Damasco, vermelho
Um boi de nome Almirante, vermelho
Um boi de nome Tinteiro, vermelho
Um boi de nome Milindre, vermelho
Um boi de nome Desempenho, branco
Um boi de nome Sargento, vermelho
Um boi de nome Janeiro, vermelho
Um boi de nome Tigre, preto
Um boi de nome Tornado, preto
Um boi de nome Trovão, branco
Um boi de nome Jasmym?, preto
Um boi de nome Bargado, vermelho
um boi de nome _____, pintado
Um boi de nome Meia-Noite, vermelho
Um boi de nome Alfaiate, vermelho
Um boi de nome Galhado, marrom
Um boi de nome Ajudante, preto
Um boi de nome Disimeiro, vermelho
Um boi de nome Pimenta, vermelho
Um boi de nome Grabú ou Ganabu, preto
Um boi de nome Ramalhete, pintado
Um boi de nome Peitudo, vermelho
Um boi de nome Pequiá, baio
Um boi de nome Estrela, baio
Um boi de nome Aumiscarado, vermelho
Uma dita Brioza
Uma dita de nome Estrela
Uma dita de nome Margarida, com cria
Uma dita de nome Juruna, com cria
Uma dita de nome Cangaceira com cria
Uma dita de nome Cabrinha, com cria
Uma dita de nome Benfeita, com cria
Uma dita de nome Fortuna, com cria
Uma dita de nome Azeitona, com cria
Uma dita de nome Vissoza, com cria
Uma dita de nome Rapadura, com cria
Uma dita de nome Fazenda
Uma dita de nome Jóia
Uma dita de nome Vila-Rica
Uma dita de nome Bandeira
Uma dita de nome Flor-do-campo
Uma dita de nome Formoza
Uma dita de nome Custureira
Uma dita de nome Massã
Uma dita de nome Molatinha
Uma dita de nome Mulata
Uma dita de nome Oncinha
Uma dita de nome Andorinha
Uma de nome Viada
Uma dita de nome Cabrosa
-----------------------------------------------

Avaliação total dos semoventes:

 

35$000
 30$000
 35$000
 35$000
 38$000
 40$000
 40$000
 35$000
 35$000
 20$000
 37$000
 35$000
 32$000
 35$000
 35$000
 35$000
 40$000
 45$000
 35$000
 30$000
 32$000
 35$000
 35$000
 35$000
 32$000
 25$000
 35$000
 35$000
 35$000
 30$000
 32$000
 10$000
 35$000
 35$000
20$000
12$000
30$000
25$000
30$000
25$000
28$000
25$000
30$000
25$000
23$000
20$000
18$000
16$000
15$000
20$000
16$000
12$000
16$000
14$000
14$000
18$000
20$000
11$000
18$000
---------

1.464$000

HERDEIRO

Maria c.c Antonio
Jose
Luiz
Manoel
Luiz
Maria c.c Antonio
Luiz
Manoel

Manoel
Luiz
Luiz
Jose
Luiz
Jose
Maria c.c Antonio
Maria c.c Antonio


Manoel
Jose
Jose
Francisco
Maria c.c Antonio
Jose
Manoel
Luiz
Francisco
Luiz
Manoel
Jose
Francisco
Maria c.c Antonio
Francisco
Victória
Victória
Francisca c.c. Jose
Manoel
Manoel
Jose
Francisca c.c. Jose
Victória
Jose
Jose
Victória
Jose
Manoel
Jose
Jose
Jose
Jose
Manoel
Jose
Francisco
Francisco
Francisca c.c. Jose
Jose
Jose
Jose


Através dos "PAGAMENTOS" foram mencionados os seguintes "SEMOVENTES":
SEMOVENTES
HERDEIROS
bois de nome Pombinho (35$000), Cidra (35$000)
égua de nome Ervilha, com cria(40$000)
boi de nome Sarampo(35$000), a égua de nome Moura(30$000)
cavalo mouro (250$000), o boi de nome Soldado (35$000)
cavalo baio (50$000), boi de nome Cabo verde (35$000), boi de nome Dourado (45$000)
cavalo de nome Gato (100$000)
Luiz
Manoel
Jose
Francisco
Maria c.c. Antonio
Anna c.c. Manoel

(Total dos semoventes: Um conto quatrocentos e sessenta e quatro mil réis) Juntas de bois

 

 

.

JóIAS
(inventariadas)

(Para complementar as identificações dos bens, ver a parte do inventário que trata dos pagamentos aos herdeiros)

Um relógio e correntão de ouro, que ficou para o filho Manoel Ribeiro Pinto de Mattos

200$000

Um par de brincos de ouro com brilhantes, que ficou para a filha D. Maria Pinto da Conceição, casada com Antonio Pinto Machado

50$000
Um par de esporas de prata, que ficou para a filha D. Francisca Ribeiro Pinto Lopes, casada com Jose Faustino Lopes 16$000



RAIZ
(Imóveis)
(inventariadas)

PÁGINA

Página_01





Página_02





Página_03

DESCRIÇÃO DOS BENS

A casa de vivenda de sobrado, construção de pedra e cal e madeira, coberta de telhas, situada na Fazenda do inventariado, a qual consta de uma testamentaria do mesmo, avaliada po um conto de réis. = 1:000$000


A Fazenda denominada Santa Juanna, onde se acha edificada a casa supra mencionada, com todas as suas benfeitorias, constando de pastagem cercadas, Caza de engenho coberta de telha, Caza de ____________ bem coberta de telha, Caza de curral coberta de palha, Caza de destilação coberta de telha e Sensalla coberta de palha, cujos termos limitão pelo Leste pelo rio denominado Riacho, pelo Sul pelo rio Santa Juana, pelo Norte com o rio do Pavuna e para Oeste com os terrenos morobá pertencente aos herdeiros da finada D. Maria Theodora de Lyrio Basttos, mulher que foi do Tenente Coronel Jose_Alves_da_Cunha_Bastos ,tudo avaliado por um conto e cem mil réis. = 1:100$000, que ficou com os seguintes herdeiros: Luiz_Ribeiro_Pinto_de_Mattos com 1/3 da fazenda; Victória Ribeiro Pinto de Mattos, também com 1/3 e os netos Francisco, Jose e Luiza, filhos de Francisca e Jose Faustino Lopes, com 1/3 da fazenda, deixado pelo seu avô, em testamento.


Um termo contiguo a mesma Fazenda, deniminado Canta Gallo, em capoeiras, limitando-se pelo Sul com a mesma Fazenda pelo rio Santa Juanna, pelo Norte ainda aos termos da mesma Fazenda, pelo Leste também com a mesma Fazenda e pelo Oeste a encontrar com os _______ ________ aos herdeiros da referida D. Maria Theodora de Lyrio Bastos, avaliado por trezentos mil réis. = 300$000, que ficou para a herdeira Maria Pinto da Conceição casada com Antonio Pinto Machado


Um termo tambem _______ a mesma Fazenda pelo lado do Sul com o rio Santa Juanna, para o lado Sul limitando-se com os termos _______________ ao ? Cel Luiz da Roza Loureiro, pelo Leste com o rio denominado Riacho e pelo Oeste a encontrar a volta do rio Santa Juanna, avaliado por trezentos mil réis. = 300$000, que ficou para o herdeiro Jose Ribeiro Pinto de Mattos

Total do imóvel (Raiz): 2:700$000 (Dois contos e setecentos mil réis)


LAVOURAS
(inventariadas)

Hum ____ de cana ______ e um quartel de _______ avaliado 400$000 (quatrocentos mil réis)
Hum pequeno mandiocal avaliado por 20$000 (vinte mil réis)

Total da Lavoura: 420$000 (Quatrocentos e vinte mil réis)

A metade da lavoura ficou para Luiz Ribeiro Pinto de Mattos e a outra metade para Victória Ribeiro Pinto de Mattos

DíVIDAS ACTIVAS (Contas a Receber - ATIVO)
(inventariadas)



Disse o inventariantes que devia a este inventário Manoel da Costa Abreu a quantia de 137$000 (cento e trinta e sete mil réis), a ser pago ao herdeiro Manoel Ribeiro Pinto de Mattos.
Disse que devia Ignacio Ferreira Gomes a quantia de 91$000 (noventa e um mil réis), a ser pago ao herdeiro Francisco Ribeiro Pinto de Mattos.
Disse que devia Jose Francisco da Roza a quantia de 36$900 (trinta e seis mil e novecentos réis), aser pago ao herdeiro Jose Ribeiro Pinto de Mattos.
Disse que devia Porphirio da Costa e Silva a quantia de 250$000 (cento e cinquenta mil réis), a ser pago ao herdeiro Manoel Ribeiro Pinto de Mattos.
Disse que devia João Firmino dos Santos a quantia de 40$000 (quarenta mil réis), aser pago ao herdeiro Jose Ribeiro Pinto de Mattos.
Disse o inventariante que devia a este inventário ____ Couto ____ da Victoria, segundo sua conta corrente a quantia de 77$450 (setenta e sete mil quatrocentos e cinquenta réis), a ser pago ao herdeiro Manoel Ribeiro Pinto de Mattos.

Total da dívida "Activa" (Total das Contas a Receber): 532$430 (Quinhentos e trinta e dois mil quatrocento e trinta réis)

Escravos registrados em Maio de 1872




ESCRAVOS
(Inventariados em 1880)


Página_01
Página_02
Página_03
Página_04
Página_05

Avaliação total dos escravos: 6:700$000
(Seis contos e setecentos mil réis)

  • Firmino - filho de Anna, escrava de Joaquim Ribeiro Pinto de Mattos, conforme registro de batismo nº 61 página 100, em 22/4/1865, padrinho: Antonio Lopes de Azevedo Junior [23]

 

  • [I]   - Ficaram com o herdeiro Luiz Ribeiro Pinto de Mattos
  • [II]  - Ficaram com a herdeira Victória Ribeiro Pinto de Mattos
  • [III] - Ficaram com o herdeiro Manoel Ribeiro Pinto de Mattos
  • [IV] - Ficou com o herdeiro Francisco Ribeiro Pinto de Mattos
  • [IV] - Ficou com a herdeira Maria Pinto da Conceição casada com Antonio Pinto Machado
  • [V]  - Ficou com a herdeira Anna Ribeiro Pinto Silva c.c. Manoel Rodrigues de Souza e Silva
  • [VI] - Ficou com a herdeira Francisca Ribeiro Pinto Lopes c.c. Jose Faustino Lopes

AUTO DE PARTILHA

Página_01
Página_02
Página_03
Página_04
Página_05
Página_06

BENS MóVEIS
SEMOVENTES
ESCRAVOS
RAIZ (IMóVEIS)
LAVOURAS
JóIAS
DíVIDAS ACTIVAS
---------------------------------------------------------------------
MONTE TOTAL
=====================================
DíVIDAS PASSIVAS
---------------------------------------------------------------------
SUB TOTAL
CUSTAS
---------------------------------------------------------------------
SUB TOTAL
=====================================
LíQUIDO SEM A TERçA PARTE
---------------------------------------------------------------------
ESTA QUANTIA DIVIDIDA EM OITO PARTES IGUAIS, POR
SEREM OITO HERDEIROS, NECESSáRIO VINHA A TOCAR
DE LEGITIMA CADA UM DELLES A QUANTIA DE:
=====================================
A TERçA PARTE
---------------------------------------------------------------------
DíVIDA AOS LIGATáRIOS CONSTANTE DA TESTAMENTARIA
---------------------------------------------------------------------
SUB TOTAL
DUAS CAPELAS DE MISSA A PEDIDO DO TESTAMENTEIRO
---------------------------------------------------------------------
SUB TOTAL
---------------------------------------------------------------------
SUBDIVIDINDO ESTA QUANTIA EM OITO PARTES IGUAIS
POR SEREM OITO OS HERDEIROS DA TERçA, VINHA A
CABER A CADA UM DELLES A QUANTIA DE:

1:680$000
2:144$000
6:700$000
2:700$000
420$000
266$000
532$430
--------------
14:442$430
========
309$566
--------------
14:132$866
400$000
--------------
13:732$866
========
9:155$244
--------------


1:144$405
========
4:577$622
--------------
1:000$000
--------------
3:577$622
300$000
--------------
3:277$622
--------------


409$702

Obs.: Cada herdeiro ficou com bens que importou em 1:144$405 + 409$702 = 1:554$107 e os herdeiros Luiz e Victória, cada um destes, ficou com 500$000 a mais, correspondente ao valor que Joaquim Ribeiro Pinto de Mattos devia a estes dois filhos e herdeiros, conforme testamento. O herdeiro Luiz teve tireiro a mais 100$000 para cobrir os gastos com funeral e 100$000 para cobrir as despesas com o inventário, conforme ficou determinado em testamento.

PAGAMENTOS

 
Pagamento
A repor aos demais herdeiros
 
Pagamento ao herdeiro Luiz Ribeiro Pinto de Mattos








Pagamento à herdeira Victória Ribeiro Pinto de Mattos




Pagamento ao herdeiro Manoel Ribeiro Pinto de Mattos



Pagamento ao herdeiro Jose Ribeiro Pinto de Mattos




Pagamento ao herdeiro Francisco Ribeiro Pinto de Mattos



Pagamento à herdeira Maria Pinto da Conceição c.c. Antonio Pinto Machado



Pagamento à herdeira Anna Ribeiro Pinto da Silva c.c. Manoel Rodrigues de Souza e Silva


Pagamento à herdeira Francisca Ribeiro Pinto c.c. Jose faustino Lopes


Pagamento ao herdeiro Francisco, filho de Francisca e Jose Faustino Lopes


Pagamento ao herdeiro Jose, filho de Francisca e Jose Faustino Lopes


Pagamento à herdeira Luisa, filha de Francisca e Jose Faustino Lopes

Pagamento de dívida da fazenda (209$568) e Custas do inventário (400$000), a ser paga pelo inventariante Luiz Ribeiro Pinto de Mattos
4:331$168








2:331$668




1:554$108



1:554$108




1:554$108



1:144$403



1:144$403


1:144$403


409$702


409$702


409$702

606$568
2:077$060








277$560

















$097



55$595


77$593
Página_01
Página_02
Página_03
Página_04
Página_05
Página_06
Página_07
Página_08
Página_09
Página_01
Página_02
Página_03
Página_04
Página_05
Página_01
Página_02
Página_03
Página_04
Página_01
Página_02
Página_03
Página_04
Página_05
Página_01
Página_02
Página_03
Página_04
Página_01
Página_02
Página_03
Página_04
Página_01
Página_02
Página_03
Página_01
Página_02
Página_03
Página_01
Página_02
Página_03
Página_01
Página_02
Página_03
Página_01
Página_02
Página_01
Página_02

Participação de Joaquim Carlos Pereira:

Declaração
Requerimento de Alvará de licença
Termo de responsabilidade
Provisão de licença
1ª procuração - folha 01
                      folha 02
2ª procuração - folha 01
                      folha 02
Representação - folha 01
                       folha 02
                       folha 03
                       folha 04
                       folha 05

CONTAGEM
(Contabilidade - despesas com o processo)



O Contador Duarte Carneiro


Impostos
(Aguardente, aluguel e engenho)


200$000 (duzentos mil réis)
Valor pago por Luiz Ribeiro Pinto de Mattos,
ao Vigário,
pelo enterro do seu finado pai Joaquim Ribeiro Pinto de Mattos.

INÍCIO      BIBLIOGRAFIA     LINK     ÍNDICE     OUTROS     INVENTÁRIOS    PESQUISA NO SITE