Página acima: Religiões e Seitas
Umbanda

--

Espiritismo e Umbanda


http://www.espiritoimortal.com.br/espiritismo-e-umbanda/

http://www.espirito.org.br/portal/artigos/gebm/umbanda-00.html
http://orbita.starmedia.com/~a_caminho_da_luz/umbanda1.htm
http://www.ceismael.com.br/tema/tema005.htm

http://www.novavoz.org.br/estudos-06.htm

http://religiaoespirita.com/

        Com a vinda dos escravos africanos para o Brasil, o sincretismo_religioso se tornou uma prática comum entre os escravos, pois os senhores de engenho não permitiam nenhuma outra religião, a não ser a católica.   Desta forma, nasceu a Umbanda, amplamente difundida em todas as camadas sociais do país. 

        A Umbanda difere do candomblé em tudo, pois nela tem várias entidades que ajudam e auxiliam com consultas e conselhos. As giras para preto-velho são permitidas e alguns terreiros mesclam o espiritismo (chamado por alguns de "religião de mesa branca") com a Umbanda.

http://www.universomistico.etc.br/index.asp?m=2

        Muitas pessoas perguntam por que as entidades se apresentam sob as formas de caboclos, pretos-velhos e crianças. Mas se observarmos bem veremos que esses são tipos de fácil identificação popular, representando as faixas etárias do homem e modelos de comportamento, como mostramos abaixo:

Tipos

Faixa etária

Comportamento

Pretos-velhos

Velhice

Prudência e humildade

Caboclos

Adulto

Vigor e pujança

Crianças

Infância

Inocência e pureza

http://www.obara6a.ubbi.com.br/pagina2.html

UMBANDA

Seu Mestre Supremo: 

  • JESUS (Filho de Deus)

Suas Normas: 

  • Sessões - Assim se chamariam os períodos de trabalhos espirituais;

  • Vestes - Os participantes estariam uniformizados de Branco;

  • Sacrifícios - Os sacrifícios de aves e animais é totalmente alheio à Umbanda;

  • Fundamento básico - É a crença ou culto aos espíritos evoluídos;

  • Atendimento - GRATUITO

Origem da palavra "UMBANDA":

  • Oriunda do Sânscrito ( a mais antiga língua da Terra-raiz mestra dos demais idiomas existentes no mundo), que se pode traduzir por "DEUS AO NOSSO LADO"  ou  "O LADO DE DEUS".

  • ou   UM - Deus (único) - Deus, o supremo espírito. BANDA - Povo da Terra - Grupo ou Facção.

Colaboração de:

CASA BRANCA DE OXALÁ TEMPLO UMBANDISTA -

Rua Barbacena 35 - Lagoa Santa - Minas Gerais CEP 33400-000

Dirigentes; Solano de Oxalá e Maria de Omolú

Email: vianasolano@uol.com.br

        Havia na época uma variação de culto afro chamada Quimbanda, originário do Congo, muito orientado à magia e que incorporava o trabalho com entidades incorporadas junto com ritos africanos similares aos do Candomblé, mas não iguais porque o Candomblé vem de uma região muito diferente.
        Assim sem uma alternativa a Umbanda foi criada como meio para que entidades pudessem cumprir sua missão. Sendo uma linha muito branda e que era totalmente baseada no catolicismo, sendo assim acabou por absorver a Quimbanda e hoje existem muito poucas casas de Quimbanda.


http://www.povodesanto.com.br/catimbo/My_Homepage_Files/Page58.html 


Chico Xavier no Programa Pinga Fogo em 1971

http://www.youtube.com/watch?v=BRCiUyxNOOs&feature=related

Data: 09/02/2005

Lei amplia livre exercício religioso

 

        Projeto de lei do presidente da Câmara de Curitiba, vereador João Cláudio Derosso (PSDB), que de determina a data de 15 de novembro para comemoração anual do Dia da Umbanda já foi sancionado. A iniciativa, que objetiva ampliar, em âmbito municipal, o direito garantido pela Constituição Federal do livre exercício religioso e manifestações culturais populares originárias nas migrações indígenas e afro-brasileiras, atende reivindicação do Superior Órgão Internacional de Umbanda e dos Cultos Afro (SOI), com mais de 50 templos na cidade. No País, ultrapassa 70 milhões de adeptos. “Apesar da origem no século 20, a umbanda só foi oficializada como religião na legislação de 1934”, explica o autor.

Leis divinas
        A escolha da data foi em função de registro de 1908, quando Zélio Fernandino de Moraes, de apenas 17 anos, deu início à doutrina, através de seus guias mentores. O vocábulo “aum-ban-dan”, abrasileirado para “umbanda”, teve origem na língua Abanheenga, do “tronco Tupy”, e significa “o conjunto das leis divinas”.
        Atualmente, o Movimento Umbandista, que concentra adeptos em todo o País, procura desmistificar o preconceito quanto à prática religiosa, confundida desde a origem. Na realidade, de acordo com pesquisas deste movimento, a umbanda foi adaptada pelos escravos. Eles utilizaram o conhecimento ritualístico indígena para cultuar crenças trazidas da África, sob vestes de santos católicos, por sua vez introduzidos pelos portugueses.

http://www.cmc.pr.gov.br/ass_det.php?not=4511 

        A Umbanda não foi codificada, como foi o kardecismo em sua origem por Hippolyte Leon Denizard Rivail (Livro dos espíritos, Livro dos médiuns, Evangelho Segundo Espiritismo, O Céu e o Inferno e A Gênese) a Umbanda foi manifestada e o kardecismo esclarecido, por isso temos muito a aprender com o Kardecismo sobre esclarecimento e eles muito a aprender conosco sobre manifestação.

        Costumo dizer que se não temos uma “Bíblia Umbandista”, todos os livros sagrados da humanidade são nossos, para extrairmos o que eles tiverem de melhor, temos a liberdade de estudar a Bíblia Cristã, o Tora (Judeu), O Alcorão (Muçulmano), O Tao Te Ching (Chinês), O Zend Avesta (Persa), Os Vedas (Hindu) e tantos outros.

  • Não temos 10 mandamentos Católicos, mas nos basta apenas um mandamento: “Amar ao próximo como a si mesmo e Deus acima de todas as coisas”

  • Não temos sete pecados capitais (gula, avareza, inveja, ira, luxuria, orgulho e preguiça) porque não acreditamos em pecado, mas cremos em vícios e virtudes, nos sete sentidos da vida (, Amor, Conhecimento, Justiça, Lei, Evolução e Geração) dentro de nosso livre_arbítrio, onde o que se volta para o ego torna-se vicio.

  • Não temos dogma nem tabu, pois na Umbanda ninguém é obrigado a aceitar nada, mas o conhecimento vai sendo absorvido naturalmente e da mesma forma a própria religião evolui e se adapta.

        Não é uma seita religiosa, é religião, portanto tem seus fundamentos próprios que devem ser esclarecidos. O conceito de seita é muito antigo e vem da época em que haviam religiões oficiais, onde aqueles que se opunham de alguma forma àquela liturgia, formando grupos dissidentes, eram chamados de seitas e portanto considerados “hereges”, à margem da sociedade...

        ...Podemos e devemos absorver o conhecimento de outras religiões, ampliando assim nosso universo espiritual. Na verdade temos a aprender com todos e todos têm a aprender conosco, quando a única religião for o Amor, o que existirão serão práticas diferentes deste Amor, Umbanda é a nossa prática do Amor...

        ...Cada um ou cada grupo umbandista realiza seus trabalhos, sessões, segundo seu ponto de vista, sem deixar de ser umbanda. Cada casa, templo ou tenda é diferente um do outro e todos são centros ou “igrejas de umbanda”. O que há em comum é a essência e não a forma!

http://www.jornaldeumbandasagrada.com.br/q1p=01.php

Visões sobre o vocábulo Umbanda

Referência Histórioco-Literária

        A mais antiga referência literária e denotativa ao termo Umbanda é de Heli Chaterlain, em Contos Populares de Angola, de 1889. Lá aparece a referência à palavra Umbanda, como: curador, magia que cura, sinônimo de Kimbanda.

Visão Exotérica sobre o vocábulo Umbanda

       Segundo a corrente exotérica que existe na Umbanda, a origem do vocábulo Umbanda estaria na raiz sânscrita AUM que, na definição de Helena Petrovna Blavatsky, em seu Glossário Teosófico, significa a sílaba sagrada; a unidade de três letras; daí a trindade em um. É uma sílaba composta pelas letras A, U e M (das quais as duas primeiras combinam-se para formar a vogal composta O). É a sílaba mística, emblema da divindade, ou seja, a Trindade na Unidade (sendo que o A representa o nome de Vishnu; U, o nome de Shiva, e M, o de Brahmâ); é o mistério dos mistérios; o nome místico da divindade, a palavra mais sagrada de todas na Índia, a expressão laudatória ou glorificadora com que começam os Vedas e todos os livros sagrados ou místicos. As outras palavras componentes se supõem, como: Bandha, de origem sânscrita, no mesmo glossário significa laço, ligadura, sujeição, escravidão. A vida nesta terra.

        Autores dessa corrente exotérica, analisando as duas palavras, definiram Umbanda como sendo a junção dos termos Aum + Bandha, que seria o elo de ligação entre os planos divino e terreno. A palavra mântrica Aumbandha foi sendo passada de boca a ouvido e chega até nós como Umbanda.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Origem_da_Umbanda

AS SETE LÁGRIMAS DE UM PRETO VELHO

         Num cantinho de um terreiro sentado num banquinho pitando o seu cachimbo, um triste Preto Velho chorava. De seus “olhos” molhados, esquisitas lagrimas desciam-lhes pelas faces e não sei porque contei-as. Foram sete. Na incontida vontade de saber, aproximei-me e o interroguei. Fala, meu Preto Velho, diz ao teu filho por que externa assim uma tão visível dor?

        E ele, suavemente respondeu. Estás vendo esta multidão que entra e sai? As lágrimas contadas estão distribuídas a cada uma delas.

  • A primeira, eu dei à estes indiferentes que aqui vem em busca de distração, para saírem ironizando aquilo que suas mentes ofuscadas não podem conceber...
  • A segunda, a esses eternos duvidosos que acreditam, desacreditando, na expectativa de um milagre que os façam alcançar aquilo que seus próprios merecimentos negam.

  • A terceira, distribui aos maus, aqueles que somente procuram as entidades de pouco esclarecimento sobre a doutrina verdadeira do Mestre Jesus, em busca de vingança, desejando sempre prejudicar o seu semelhante.

  • A quarta, aos frios e calculistas, que sabem que existe uma força espiritual e procuram beneficiar-se ~ela de qualquer forma e não conhecem a palavra gratidão.
  • A quinta, chega suave, tem o riso, o elogio da flor dos lábios mas se olharem bem o seu semblante, verão escrito: Creio na doutrina do Cristo Jesus, nos Teus Caboclos e nos Teus Zumbis, mas somente se vencerem o meu caso, ou me curarem disso ou daquilo.
  • A sexta, eu dei aos fúteis que vão de templo em templo, não acreditando em nada, buscando aconchegos e conchavos e seus olhos revelam um interesse diferente.
  • A sétima, filho, notas como foi grande e como deslizou pesada? Foi a última lágrima, aquela que vive nos olhos de todos os Orixás. Fiz doação dessa aos médiuns vaidosos que só aparecem no templo em dia de festa e faltam às doutrinas. Esquecem que EXISTEM TANTOS IRMÃOS PRECISANDO DE CARIDADE, TANTAS CRIANCINHAS PRECISANDO DE AMPARO MATERIAL E ESPIRITUAL.

        Assim, filho meu, foi para esses todos, que vistes cair, uma a uma...

Do livro: Umbanda de Todos Nós

W.W.da Matta e Silva (Mestre Yapacany)

O Sr. W.W. da Mata e Silva, uma figura de real importância na Umbanda, autor de várias obras, cultuava: Oxalá, Ogum, Iemanjá, Oxossi, Xangô, Yuri (linha do Oriente) e Yorima (linha dos pretos-velho).

Alabê de Jerusalém - Os Intolerantes - Altay Veloso


OS INTOLERANTES

"Ah, meu Deus! Assisto com muita tristeza a pena da aspereza dilacerando a beleza de uma linda sinfonia. A aguarrás de juizes, ciumentos inflexíveis, descolorindo as matizes de uma linda pintura, só porque não gostam da assinatura?"

"E vai com uma bailarina, com a inocência de menina, dançando em volta do sol, a Grande Mãe Terra. Enquanto muitas nações, governos, religiões ensaiam a dança da guerra."

"Na verdade a bola azul quase nunca foi amada; é sempre penalizada. Tem um trabalho enorme, dedicação e talento para preparar a mistura, juntar os seus elementos para dar forma às criaturas, e elas, depois de paridas, desconhecem a matriarca e dizem, mal agradecidas: que a carne é fraca."

"E quando o planeta gera um Avatá, um iluminado assim como o Nazareno, tem logo quem se apresenta com conhecimento profundo e diz logo: não é desse mundo, só pode ser extraterreno."

"Ah, é difícil entender porque é que o homem, até hoje, cospe no prato que come. Algumas religiões, não sei por qual motivo, dizem que a Terra é um território com vocação pra purgatório, não passa de sanatório... E que nós só seremos felizes longe dela, bem distante, lá onde os delirantes chamam de paraíso."

"Olha, eu vou dizer de coração. Na minha simples, dia após dia, me perdoem a liberdade, mas religião de verdade, mais parecida com a que Jesus queria, talvez seja sentimento de ecologia. Para esse sentimento não tem fronteiras e só reza um mandamento: preservação das espécies com urgência, sem adiamento."

"Hoje, ela pensa nas plantas, nos rios, no mar, nos bichos. Amanhã, com certeza, com a mesma dedicação e capricho, pensará com muito cuidado nos meninos abandonados."

"Ah, se ela tivesse mais força para sustentar sua zanga, evitaria, com certeza a fome cruel de Ruanda. Não tinha maturidade, ainda era uma menina, quando a impertinência sangrou, com a bola de fogo, a pobre Hiroshima. Mas ela cresce, se instala como uma prece no coração das crianças. Tenho muitas esperanças..."

"Eu tenho toda a certeza que nosso planeta um dia, mesmo cansado, exausto, terá toda a garantia e guardado por uma geração vigia, nunca mais verá a espada fria no Holocausto."

"A intolerância, repito, é a mais triste das doenças. Não tem dó, não tem clemência. Deixa tantas cicatrizes nas pessoas, nos países, até as religiões, guardiãs da Luz Celeste, abandonam seus archotes para empunhar cassetete. E o que, na verdade, refresca o rosto de Deus, é um leque, que tem uma haste de Calvino e outra de Alan Kardec."

"Na outra haste, as brisas, que vêm das terras de Shivas, são uma, dos franciscanos, e outra, dos beduínos. Não precisa ir muito longe... Jesus nasce entre os rabinos."

"Às vezes corações que crêem em Deus, são mais duros que os ateus. E jogam pedra sobre as catedrais dos meus deuses Yorubás. Não sabem que a nossa terra é uma casa na aldeia, religiões na Terra são archotes que clareiam."

DE ALTAY VELOSO

https://www.youtube.com/watch?v=8rFq1_4ZBw0&feature=player_embedded

O verdadeiro sacrifício

        Muito antes de sermos informados dos missionários que levaram a palavra, o verbo, o ensinamento aos seres que viviam na escuridão, nas trevas da insensibilidade e da ignorância, havia semelhantes seres de luz que faziam o trabalho acontecer nesse nível.
        Mesmo sem serem notados ou que tivessem sua identidade revelada, diversos “amigos”, como os chamavam, foram para locais nunca antes visitados; locais estes onde reinavam a guerra, o pessimismo, a violência. Quem lá vivia julgava nunca de lá sair, tamanha a densidade de sua superfície.
        Que missão foi aquela pela qual corações cheios de luz e esperanças, banhados pela luz celestial, atravessaram diversas fronteiras para levar um pouco de encorajamento aos que se encontravam presos em seus emocionais!

  • Logo, alguns não conseguiram retornar à sua verdadeira morada, onde por força e amor haviam alcançado e adquirido.
  • Outros regressaram com muita tristeza em seus corações por não terem feito aquilo pelo qual haviam idealizado.
  • Mas, aqueles que acreditaram até o fim de muitos anos e de muito esforço romperam as barreiras dessas fronteiras e regressaram conjuntamente com aqueles a quem lhe deram a missão de cuidar.

        Meus caros irmãos, filhos do mesmo Pai Celestial, obreiros da mesma obra, senhores dos vossos caminhos, tenho a lhes dizer:

  • não parem vossas tarefas,
  • não se deixem banhar pelo pessimismo humano contido nesta civilização.
  • Não esperem grandes recompensas, mas acreditem que vossas armas são potentes e merecem ser respeitadas.

        Acreditais em vossas percepções, em vossas intuições, em informações vindas de outra esfera da qual não podeis se aperceber, que lá no mais alto estareis quando precisais agir.
        Acreditais em vossas mãos, em vosso físico, em vosso emocional e mental. Credes que podeis fazer algo diferente que venha a favorecer seu semelhante. Credes que lá no alto muitos aguardam pelas vossas ações e, enquanto aguardam, o mundo das trevas vai sendo coberto com o manto do arrependimento e da renovação interior. Mas precisamos de vós, do trabalho de vós, do amor de vós, da sabedoria de vós, do equilíbrio de vós, da amizade de vós, da humildade de vós, pois vós hoje sois refletores que irradiam a luz enviada pelo Pai, nosso Criador.
        Com todo respeito às vossas missões e com respeito a vossa liberdade_de_escolhas, estamos, muitos de nós, aguardando a resposta aos nossos pedidos e súplicas. Não desperdiçai as oportunidades da vida encarnada.
        Precisam agir!
        Que Oxalá ilumine a todos vós com o manto da abertura de consciência de que existem seres humanos em condições muito precárias, como também, seres espirituais que necessitam do vosso exemplo para seguir adiante.
        Que assim seja, meus caros irmãos.

Garrorocho


Mensagem retirada do livreto "CAMINHO DA LUZ" ditada por Garrorocho à Elania Piffer em 24/02/2007.
elaniapiffer@hotmail.com

TEXTOS:

MENSAGENS:

CANDOMBLÉ  E  UMBANDA

LINKs:

Ver também:

 

Crianças e Adolescentes

DESAPARECIDOS