Página acima: Mediunidade
Médium

--

 

http://agrandefraternidadebrancauniversal.blogspot.com/2012/02/mensagem-de-esclarecimento-aos-mediuns.html

Médium  -  Medianeiro

Medianímico: do Lat. medium + anímico  - adj., que tem a qualidade ou faculdade espírita de médium.

http://www.priberam.pt/dlpo/definir_resultados.aspx 

Medianímico - Qualidade da força do médium - Faculdade medianímica.

[17b - página 486 ]

        Todos os homens têm o seu grau de mediunidade, nas mais variadas posições evolutivas, e esse atributo do espírito representa, ainda, a alvorada de novas percepções para o homem do futuro, quando, pelo avanço da mentalidade do mundo, as criaturas humanas verão alargar-se a janela acanhada dos seus cinco sentidos.

        Na atualidade, porém, temos de reconhecer que no campo imenso das potencialidades_psíquicas do homem existem os médiuns com tarefa definida, precursores das novas aquisições humanas. É certo que essas tarefas reclamam sacrifícios e se constituem, muitas vezes, de provações ásperas; todavia, se o operário busca a substância evangélica para a execução de seus deveres, é ele o trabalhador que faz jus ao acréscimo de misericórdia prometido pelo Mestre a todos os discípulos de boa-vontade.

[41a - página 213] - Emmanuel - 1940

TODOS SOMOS MÉDIUNS

        Encontramos o reflexo condicionado e a sugestão como ingredientes indispensáveis na obra de educação e aprimoramento.

        Urge reconhecer que a liberdade é tanto maior para a alma quanto maior a parcela de conhecimento que se lhe debite no livro da existência.

        Por isso mesmo, quanto mais cresça em possibilidades, nesse ou naquele sentido, mais se lhe desdobram caminhos à visão, constrangendo-a a vigiar sobre a própria escolha.

        Mais extensa mordomia, responsabilidade mais extensa.

        Isso acontece porque, com a intensificação de nossa influência, nesse ou naquele campo de interesses, mais persistentes se fazem os apelos em torno, para que não nos esqueçamos do dever primordial a cumprir.

  • Quem avança está invariavelmente entre a vanguarda e a retaguarda. E a romagem para Deus é uma viagem de ascensão.

  • Toda subida, quanto qualquer burilamento, pede suor e disciplina.

  • Todo estacionamento é repouso enquistante.

        Somos todos, assim, médiuns, a cada passo refletores das forças que assimilamos, por força de nossa vontade, na focalização da energia mental.

[29 - página 118] - André Luiz 1959

  • Todos os homens são médiuns

  • todos têm um Espírito que os dirige para o bem, quando sabem escutá-lo. 

        Agora, que algumas comunicações eles estabelecem pela mediunidade particular, quando outros só o escutam pela voz do coração e da inteligência, pouco importa, não deixa de ser o seu Espírito familiar que os aconselha. Chamai-o... 

  • Espírito, 

  • razão, 

  • inteligência, 

  • é sempre uma voz que responde à vossa alma e vos dita boas palavras. 

        Somente nem sempre as compreendeis. Nem todos sabem agir segundo os conselhos da razão, não desta razão que se arrasta, que se roja em vez de marchar desta razão que se perde em meio aos interesses materiais e grosseiros mas desta razão que... 

  • eleva o homem acima de si mesmo, 

  • que o transporta às regiões desconhecidas, 

  • chama sagrada que inspira o artista e o poeta, 

  • pensamento divino que eleva o filósofo, 

  • impulso que arrasta os indivíduos e os povos 

  • razão que o vulgo não compreende, mas que eleva o homem e o aproxima de Deus mais que nenhuma outra criatura, 

  • entendimento que sabe conduzi-lo do conhecido para o desconhecido fazendo-o executar coisas sublimes. 

        Escutai, pois, essa voz interior esse bom gênio que vos fala incessantemente, e chegareis, progressivamente, a ouvir o vosso anjo da guarda, que vos estende a mão do alto do céu. Repito: a voz íntima que fala ao coração é a dos bons Espíritos; e é neste ponto que todos os homens são médiuns.

[17b - Capítulo XXXI parágrafo X]

Árvores Humanas

        O texto evangélico, ante a luz da Doutrina Espírita, não se refere aos médiuns categorizando-os por fachos ou estrelas, anjos ou santos.     
        Com muita propriedade, reporta-se a eles como sendo árvores frutíferas.
        E sabemos, à saciedade, que as árvores produzem segundo a própria espécie.

  • Não vivem sem irrigação e sem adubo;
  • entretanto, o excesso de uma e outro pode perdê-las.
  • Em verdade, não prescindem do cuidado e do carinho de cultivadores atentos;
  • contudo, se obrigam a tolerar vento e chuva, canícula e tempestade.
  • São abençoadas por ninhos e melodias de pássaros amigos;
  • todavia, suportam pragas que por vezes lhes carcomem as orças e pancadas de criaturas irresponsáveis que lhes furtam lascas e flores. 
  • Registram a gratidão das almas boas que lhes recolhem o favor e a utilidade, mas agüentam o assalto de quantos lhes tomam a golpes de violência ramos e frutos.
  • E, conquanto estimáveis aos pomicultores, que lhes garantem a existência, são submetidas por eles mesmos à poda criteriosa e providencial, com vistas ao rendimento e melhoria da produção.

        Assim também são os médiuns da Terra, postos no solo da experiência para a extensão do bem de todos. E anotemos que, semelhantes às árvores preciosas, todos eles, por muito dignos, como sucede a qualquer criatura humana, se elevam em pensamento no rumo do Céu, conservando, porém, os próprios pés nas dificuldades e deficiências do chão.

[120 - página 11] - Emmanuel

        [...] Os fatos que constituem o objeto do espiritismo não são sobrenaturais, nem mesmo extraordinários, senão porque escapam à observação dos que não sabem vê-los; eles são naturais, como tudo quanto existe no Universo; são comuns, ordinários e até freqüentes. Mas para os ver, os observar, aprender a notá-los e os reconhecer, quando e onde quer que se apresentem, era preciso, descobrir o instrumento capaz de os registrar, tornando-os evidentes e palpáveis. Esse instrumento é o Médium. [...] (do livro Ciência Espírita, de Antônio Pinheiros Guedes; 8a ed., p. 41-42, 1992).

        De acordo com o texto acima do médico-espiritualista, Dr. Antônio Pinheiro Guedes (1842-1908), o médium é o instrumento que pode ser usado na observação e nos registros dos fenômenos espíritas.
        A metodologia mediúnica vem sendo utilizada desde a Antiguidade e, ainda hoje, é a única que realmente prevalece; mas, por ser ela essencialmente pessoal, subjetiva, os cientistas têm dificuldades em aceitá-la, pois não a acham confiável.
        Mas a despeito disso, muitos cientistas já registraram suas observações sobre fenomenologia espírita usando médiuns como ferramenta desse estudo. Esse foi o caso do Dr. Paul Gibier (1895-1900) – médico-bacteriologista francês que foi Diretor da sucursal do Instituto Pasteur em Nova York. Gibier se interessou por pesquisa psíquica em 1885; e, durante 10 anos, fez experimentos tanto no seu laboratório como na sua casa de campo em Nova York usando como médium uma mulher conhecida como Sra. Salton. Ele confirmou a realidade da fenomenologia psíquica e tinha decidido levar essa médium consigo para a França, Inglaterra e Egito, quando inesperadamente foi morto em um acidente. No dia anterior a sua morte, ele havia relatado à sua mulher, em tom jocoso, que havia sonhado que ia morrer. Dr. Gibier escreveu dois livros desse trabalho experimental que desenvolveu com a Sra. Salton: Spiritism or Eastern Faquirism, em 1886; The Analysis of Things Existing[*], em 1890.
        Além de Paul Gibier, outros_cientistas, vários intelectuais e escritores também investigaram fenômenos sobre a vida do além-túmulo fazendo uso de médiuns. Vários nomes famosos estão incluídos nesse grupo; dentre eles podemos citar entre muitos outros: 

  • o famoso físico-químico William Crookes

  • o conhecido escritor inglês Arthur Conan Doyle que foi o criador do personagem Sherlock Holmes; 

  • o astrônomo e escritor francês Camille Flamarion

  • o jornalista húngaro, autor de uma enciclopédia sobre fenômenos psíquicos, Nando Fodor, etc.       

        Por outro lado, alguns médiuns também se tornaram mundialmente conhecidos por terem prestado seus serviços mediúnicos a pessoas famosas; é esse o caso de ...

  • Teocléia que, na época em que viveu Pitágoras na Grécia Antiga, era sacerdotisa do Templo de Delfos; 

  • Eusapia Palladino, a primeira médium que trabalhou durante mais de 20 anos com vários cientistas psíquicos na Europa e na América; 

  • Florence Cook, que foi o instrumento mediúnico com o qual William Crookes fez seus experimentos, e muitos outros ainda.

Mediunidade de incorporação e a glândula pineal

Glaci Ribeiro da Silva

http://www.racionalismo-cristao.org.br/gazeta/mediunid/mediunidade-e-glandula-pineal.html

No trato da mediunidade, não andemos à cata de louros terrestres, nem mesmo esperemos pelo entendimento imediato das criaturas.

Age e serve, ajuda e socorre sem recompensa.

Texto ditado por Emmanuel na reunião pública de 15/1/1960, a respeito do Livro dos Médiuns - Questão nº 30
[80 - página 21 - "Ante a mediunidade"]

  • Todo aquele que sente, num grau qualquer, a influência dos Espíritos é, por esse fato, médium

  • Essa faculdade é inerente ao homem; não constitui, portanto, um privilégio exclusivo.  

  • Por isso mesmo, raras são as pessoas que dela não possuam alguns rudimentos.

  • Pode, pois, dizer-se que todos são, mais ou menos, médiuns.  

        Todavia, usualmente, assim só se qualificam aqueles em quem a faculdade_mediúnica se mostra bem caracterizada e se traduz por efeitos patentes, de certa intensidade, o que então depende de uma organização mais ou menos sensitiva.  É de notar-se, além disso, que essa faculdade não se revela, da mesma maneira, em todos.  Geralmente,  os médiuns têm uma aptidão especial para os fenômenos desta, ou daquela ordem, donde resulta que formam tantas variedades, quantas são as espécies de manifestações.

        As principais manifestações são

[17b - página 203 item 159]

        Médiuns, meus amigos, inclusive nós outros, os desencarnados, todos o somos, 

  • em vista de sermos intermediários do bem que procede de mais alto, quando nos elevamos, 

  • ou portadores do mal, colhido nas zonas inferiores, quando caímos em desequilíbrio.

[16a - página 275] - André Luiz

No texto acima consta a seguinte afirmativa: "Pode, pois, dizer-se que todos são, mais ou menos, médiuns". Mas, é importante observarmos, também, no mesmo texto, que: "raras são as pessoas que dela não possuam alguns rudimentos" Portanto, considerando a raridade existem pessoas que não possuem, pelo menos, alguns rudimentos de mediunidade.

[0]

( Ver em: Espíritas desorientados e enfermos Dissertações sobre os médiuns )

        Médium. [do latim medium= meio, intermediário] 

  • 1. Pessoas acessíveis à influência dos Espíritos, e mais ou menos dotadas da faculdade de receber e transmitir suas comunicações. Para os Espíritos, o médium é um intermediário, um instrumento segundo a natureza ou o grau da faculdade mediúnica. Esta faculdade depende de uma disposição orgânica especial, suscetível de desenvolvimento.  

  • 2. Há uma diversidade de médiuns: falantes (psicofonia), escreventes (psicografia), videntes, audientes, curadores, etc..

http://www.espirito.org.br/portal/doutrina/vocabulario/letra-m.html 

Médium, no candomblé e na umbanda recebem o nome de “cavalo” ou "aparelho".

QUEM SÃO OS MÉDIUNS NA SUA GENERALIDADE

        Os médiuns, em sua generalidade, não são missionários na acepção comum do termo; são almas que fracassaram desastradamente, que contrariaram, sobremaneira, o curso das leis_divinas, e que resgatam, sob o peso de severos compromissos e ilimitadas responsabilidades, o passado obscuro e delituoso. O seu pretérito, muitas vezes, se encontra enodoado de graves deslizes e de erros clamorosos. Quase sempre, são Espíritos que tombaram dos cumes sociais, pelos abusos do poder, da autoridade, da fortuna e da inteligência, e que regressam ao orbe_terráqueo para se sacrificarem em favor do grande número de almas que desviaram das sendas luminosas...

       São almas arrependidas que procuram arrebanhar todas as felicidades que perderam, reorganizando, com sacrifícios, tudo quanto esfacelaram nos seus instantes de criminosas arbitrariedades e de condenável insânia.

[71 - página 66]  - Emmanuel - 1938

        ...A possibilidade de comerciar emoções com as esferas_invisíveis que vos rodeiam não representa, de modo algum, a realização espiritual imprescindível à edificação divina de cada um de nós, porque: 

  • o problema da glória mediúnica não consiste em ser instrumento de determinadas Inteligências, 

  • mas em ser instrumento fiel da Divindade. 

        Para que a alma encarnada efetue semelhante conquista é indispensável desenvolva os seus próprios princípios divinos ...

        Lembrai-vos, contudo, de que a Lei Divina jamais endossou o cativeiro e nunca sancionou a escravidão!  Esquecestes a palavra divina que pronunciou: vós_sois_deuses? ...

        ...Não provoqueis o desenvolvimento prematuro de vossas faculdades psíquicas

  • Ver sem compreender 

  • ou ouvir sem discernir pode ocasionar desastres vultosos ao coração. 

        Buscai, acima de tudo, progredir na virtude e aprimorar sentimentos. Acentuai o próprio equilíbrio e o Senhor vos abrirá a porta dos novos conhecimentos!...

        Em todos os labores terrestres, transformai-vos na Vontade de Nosso Pai!  E em vossos serviços de fé, não intenteis fazer baixar até vós os Espíritos superiores, mas aprendei a subir até eles, conscientes de que os caminhos de intercâmbio são os mesmos para todos e mais vale elevar o coração para receber o infinito bem, que exigir o sacrifício dos benfeitores!...

 

[16a - página 91] - André Luiz

        Buscando símbolo mais singelo, figuremos o médium como sendo urna ponte a ligar duas esferas, entre as quais se estabeleceu aparente solução de continuidade, em virtude da diferenciação_da_matéria_no_campo_vibratório. Para ser instrumento relativamente exato, é-lhe imprescindível haver aprendido a ceder, e nem todos os artífices da oficina mediúnica realizam, a breve trecho, tal aquisição, que reclama:

  • devoção à felicidade do próximo, 

  • elevada compreensão do bem coletivo, 

  • avançado espírito de concurso fraterno 

  • e de serena superioridade nos atritos com a opinião alheia. 

        Para conseguir edificação dessa natureza, faz-se mister o refúgio freqüente à «moradia dos princípios superiores». A mente do servidor há de fixar-se nas zonas mais altas do ser, onde aprenderá o valor das concepções sublimes, renovando-se e quintessenciando-se para constituir elemento padrão dos que lhe seguem a trajetória.

        O homem, para auxiliar o presente, é obrigado a viver no futuro da raça. A vanguarda impõe-lhe a soledade e a incompreensão, por vezes dolorosas; todavia, essa condição representa artigo da Lei que nos estatui adquirir para podermos dar. Ninguém pode ensinar caminhos que não haja percorrido. Nasce daí, em se tratando da mediunidade edificante, a necessidade de fixação das energias instrumentais no santuário mais alto da personalidade. 

        Fenômenos não lhes importa a natureza — é forçoso reconhecer que assediam a criatura em toda parte.

[25 - página 126] - André Luiz

  • Cada médium com a sua mente.

  • Cada mente com os seus raios, personalizando observações e interpretações. 

  • E, conforme os raios que arremessamos, erguer-se-nos-a o domicílio espiritual na onda de pensamentos a que nossas almas se afeiçoam.  

  • Isso, em boa síntese, equivale ainda a repetir com Jesus: A cada qual segundo suas obras.  

[28a - página 12]  - Emmanuel - Pedro Leopoldo-MG, 3 de outubro de 1954 (Introdução do livro)

        Os orientadores da Espiritualidade procuram companheiros, não escravos. O médium digno da missão do auxílio não é um animal subjugado à canga, mas sim um irmão da Humanidade e um aspirante à Sabedoria. Deve trabalhar e estudar por amor... É por isso que muitos começam a jornada e recuam. Livres_para_decidir quanto ao próprio destino, muitas vezes preferem estagiar com indesejáveis companhias, caindo em temíveis fascinações. Iniciam-se com entusiasmo na obra do bem, entretanto, em muitas circunstâncias dão ouvidos a elementos corruptores que os visitam pelas brechas da invigilância. E, assim, tropeçam e se estiram: 

  • na cupidez

  • na preguiça, 

  • no personalismo destruidor 

  • ou na sexualidade_delinqüente, transformando-se em joguetes dos adversários da luz, que lhes vampirizam as forças, aniquilando-lhes as melhores possibilidades. Isso é da experiência de todos os tempos e de todos os dias...

[28a - página 156]  - André Luiz - 1954

        O médium não é um simples aparelho. É um Espírito que deve ser livre e que, a fim de se prestar ao intercâmbio desejado... 

  • precisa renunciar a si mesmo, com abnegação e humildade, primeiros fatores na obtenção de acesso à permuta com as regiões mais elevadas. 

  • Necessita calar, para que outros falem; 

  • dar de si próprio, para que outros recebam. 

  • Em suma, deve servir de ponte, onde se encontrem interesses diferentes. 

        Sem essa compreensão consciente do espírito de serviço, não poderia atender aos propósitos edificantes. 

  • Naturalmente, ele é responsável pela manutenção dos recursos interiores, tais como a tolerância, a humildade, a disposição fraterna, a paciência e o amor cristão; 

  • todavia, precisam de cooperação do plano_espiritual no sentido de manter os estímulos de natureza exterior, porque se não tem pão, nem paz relativa, se lhe falta assistência nas aquisições mais simples, não poderá ser exigido a colaboração, redundante em sacrifício. 

        As responsabilidades, portanto, estão conjugadas nos mínimos detalhes da tarefa a cumprir.

[16a - página 14] - André Luiz

        O instrumento mediúnico é automaticamente desclassificado se não tem a felicidade de exibir absoluta harmonia com os desencarnados, no campo tríplice das forças...

[25 - página 125] - André Luiz

 

Médiuns não apresentam doenças mentais

        Na literatura científica, muitas vezes os médiuns (que se comunicam com espíritos) são descritos como pessoas de baixa escolaridade e renda. Sua mediunidade deve ser entendida como um "mecanismo de defesa contra as opressões sociais", ou como manifestação de algum quadro dissociativo ou psicótico.
        No entanto, um estudo realizado pelo psiquiatra Alexander Moreira de Almeida com médiuns espíritas da cidade de São Paulo mostrou um perfil diferente: os médiuns apresentaram um alto nível sócio-educacional e uma prevalência de transtornos mentais menor do que a encontrada na população em geral.
        Almeida constatou que 46,5% das pessoas tinham curso superior, 76,5% eram mulheres,
menos de 3% estavam desempregados, e a idade média era de 48 anos. A maioria era espírita há mais de 16 anos, vieram de famílias não-espíritas e as vivências mediúnicas começaram na infância.
        "Esse perfil sócio-demográfico se encaixa no último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que mostra um crescimento da proporção de espíritas conforme aumenta a escolaridade da população", comenta o psiquiatra, que apresentou sua tese de doutorado à Faculdade de Medicina (FMUSP), com orientação do professor Francisco Lotufo Neto.
        Os participantes do estudo atuam em nove centros espíritas kardecistas da Capital, pertencentes à Aliança Espírita Evangélica. O médico aplicou um questionário sócio-demográfico a 115 médiuns antes e depois das sessões espíritas. Eles também responderam a questões referentes à atividade mediúnica. Almeida ainda utilizou os questionários SRQ (Self-Report Psychiatric Screening Questionnaire), que rastreia a presença de transtornos_mentais, e o EAS (Escala de Adequação Social), que mostra como a pessoa se relaciona em sociedade.
        A partir dos resultados foram selecionados 24 médiuns. Eles foram analisados pelo SCAN (Schedules for Clinical Assessment in Neuropsychiatry), um tipo de entrevista psiquiátrica padrão e pelo DDIS (Dissociative Disorders Interview Schedule), um questionário que detecta transtornos dissociativos (quando uma parte da mente funciona de forma independente). "É nessa categoria que os transes mediúnicos são habitualmente encaixados", explica o médico.

Fonte: Agência USP de Notícias - Publicado em: 12/05/2005

http://www.feal.com.br/destaques.php?id=149 

 

(Ver: Transe)

LINKs:

  • Fenomenologia das experiências mediúnicas, perfil e psicopatologia demédiuns espíritas - da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo para obtenção do título de Doutor em Ciências - Alexander Moreira de Almeida - clique no link para download (2 Mb): http://www.hojenet.org/arq/pro/es-draa-18032005---tese_med_compl.pdf 

Ver também:

Crianças e Adolescentes

DESAPARECIDOS